Sorocaba e Região

Transferência de cães de canil clandestino em Piedade deve durar até sábado (16)

Eles estão sendo levados para o Instituto Luísa Mell e não estão disponíveis para adoção
Cachorros estavam separados em baias sem higiene. Crédito da foto: Polícia Militar Ambiental

Cães sujos, com patas quebradas e cegos. Ração mal armazenada, água esverdeada e gaiolas. Centenas de cadelas prenhas e muitos filhotes. Quem passa pela rua de terra João Batista da Rosa, na zona rural de Piedade, não imagina como eram tratados aproximadamente 1.500 cães, de várias raças, no agora interditado, canil Céu Azul. Após denúncias, a Polícia Ambiental fechou o local e o Instituto Luisa Mell conseguiu na Justiça uma autorização para resgatar os animais e levá-los para abrigos nas cidades de Mairiporã e Ribeirão Pires. Eles não estão disponíveis para adoção.

Esse resgate, segundo Marina Passereli, veterinária do Instituto Luisa Mell, é o maior da história mundial. “Até hoje o maior já registrado foi nos Estados Unidos, quando 947 animais foram salvos. Infelizmente, ou felizmente, nós estamos quebrando esse recorde e levando os cachorrinhos para um lugar seguro”, disse.

Pelo menos 46 dos 1.500 cães foram retirados do local já na quarta-feira (13) à noite, por estarem debilitados. O resgate deve ser concluído na manhã deste sábado (16). Na quinta-feira (14), sete ônibus fretados pelo instituto de proteção animal estacionaram em frente a propriedade e aproximadamente 20 voluntários ajudaram a retirar os cães. Os animais maiores, como da raça chow-chow, foram transportados de carro pelos voluntários.

Telma Casselo, assessora do Instituto Luisa Mell, contou que o resgate não seria finalizado na sexta-feira (15) por conta da grande quantidade de animais e pela dificuldade no acesso ao canil. “Quando você olha superficialmente parece que a estrutura é ‘ok’, mas quando entra em contato com os animais percebe que eles eram negligenciados e estão muito assustados”, disse. Na quinta-feira a ativista Luisa Mell esteve no propriedade.

Moradores de Piedade que ficaram sabendo da situação também foram até o canil para ajudar e muitos doaram e emprestaram caixas para transportar os animais em segurança. Gabriela Branco, 23, mora na cidade e estava desde quarta-feira participando de mobilização, principalmente pela internet, para fazer o resgate dos cães. “Estamos trazendo as caixas para ajudar. É muito triste saber o que acontecia aqui. Nunca poderíamos imaginar uma crueldade dessa.”

 

Segundo Marina, o instituto Luisa Mell é atualmente o fiel depositários dos cães resgatados, ou seja, possui a guarda provisória dos animais, até que se tenha uma decisão definitiva da Justiça. “Vamos fazer o laudo médico de todos os cães, mas isso levará um certo tempo por conta da grande quantidade. Os abrigos que vão recebê-los contam com equipes veterinárias completas, que estarão focadas neste atendimento. Depois disso vamos apresentar ao juiz e acreditamos que a decisão será favorável ao instituto.”

Cachorros foram encontrados em locais impróprios. Crédito da foto: Polícia Militar Ambiental

Após serem transferidos, Marina conta que todos os animais serão examinados, tratados e castrados. “Não queremos perpetuar essa cultura da procriação. Aqui tem muitas cadelinhas como máquinas de dinheiro.” A veterinárias passou o dia retirando os cães das baias e todos os animais eram identificados pela Polícia Ambiental. Uma funcionária do canil também acompanhou a ação e fotografou todos os cães.

Nas baias e gaiolas havia cães de várias raças como buldogue francês, chow-chow, poodle, chiuaua, pinscher, basset, shih-tzu, spitz alemão, beagle e pug. A veterinária do instituto contou que somente após todo levantamento do estado dos cães é que o caso será levado ao âmbito da Polícia Civil. Para cada animal vítima de maus tratos, a multa pela Polícia Ambiental é de R$ 3 mil.

Negligência

O canil clandestino foi descoberto na tarde de quarta-feira (13) pela Polícia Ambiental no bairro Goiabas. Ele fica em uma grande propriedade na zona rural e funciona há 25 anos. Segundo a Polícia Ambiental, a demora em constatar a situação geral do canil ocorre pela necessidade de se ter laudos individuais dos animais. Outros aspectos também estão sendo apurados, como o impacto ambiental por conta do escoamento de esgoto.

A Vigilância Sanitária de Piedade também acompanha o trabalho no local. O canil foi interditado por conta de irregularidades constatadas como instalações inadequadas com falta de higiene e organização, tamanho das baias improvisadas, medicamentos vencidos, não possuir um veterinário responsável no local, dejetos escoados diretamente no solo e incineração em forno irregular. A Diretoria de Tributos e Arrecadação do município também informou que o canil não tem alvará de funcionamento, não recolhe impostos para o município e não tem inscrição municipal. (Larissa Pessoa)

* Atualizado às 18h02

Comentários