Sorocaba e Região

Elefanta Haisa é enterrada no parque Chico Mendes em Sorocaba

Animal vivia no zoológico da cidade e morreu na quarta-feira (18)
Elefanta asiática é enterrada em Sorocaba. Crédito da foto: Fábio Rogério (19/11/2020)

Atualizada às 17h11

A elefanta asiática Haisa foi enterrada às 15h53 desta quinta-feira (19), no Parque Natural Chico Mendes, no Alto da Boa Vista, em Sorocaba. O animal vivia no Parque Zoológico Municipal Quinzinho de Barros e morreu na noite de quarta-feira (18). A fêmea sofria de artrose. O laudo com a causa da morte deve sair em 45 dias.

O corpo de Haisa deixou o hospital veterinário da Universidade de Sorocaba (Uniso), onde passou por necropsia, às 15h15. Foi levado ao local do enterro na caçamba de um caminhão e chegou por volta das 15h30.

A elefanta foi retirada do veículo por um guindaste. Na sequência, colocada em cova aberta em área de mata nos fundos do parque. Para evitar contaminação, o solo foi preparado com cal, antes de receber o corpo.

Diversos técnicos da Secretaria Municipal de Meio Ambiente (Sema) e do zoológico auxiliaram e acompanharam o enterro. Sob forte emoção, os funcionários prestaram a última homenagem à Haisa. Antes de a máquina retroescavadeira começar a jogar terra sobre o corpo do animal, eles fizeram um minuto de silêncio e, depois, uma salva de palmas.

Leia mais  Homem é preso após agredir mulher na zona sul de Sorocaba

 Morte

A elefanta morreu por volta das 19h de quarta-feira (18). Segundo a Sema, durante patrulhamento no zoo, um guarda civil municipal estava próximo ao recinto e presenciou o momento da morte do animal.

Uma operação foi montada durante a madrugada desta quinta (19) para transportar o corpo, de cerca de três toneladas. Haisa passou por necropsia no hospital da Uniso. Para ser levada até lá, foi içada por um guindaste e colocada em um caminhão. Seis funcionários participaram do transporte.

O procedimento para identificar a causa da morte foi acompanhado pelos patologistas Natália Fernandes e Juliana Guerra, do Instituto Adolfo Lutz, e Pedro Navas, da Universidade de São Paulo (USP). Outros dois patologistas da mesma instituição e da Universidade Estadual Paulista (Unesp) de Botucatu também participaram do processo.

Repercussão

O caso de Haisa repercutiu após a publicação de um vídeo nas redes sociais. As imagens, feitas por Eric Prestes, veterinário e ex-funcionário do zoo, viralizaram. Os registros lançavam dúvidas sobre o estado de saúde e as condições de tratamento do animal. Na gravação, o autor afirma que a elefanta estava com as patas inflamadas e dificuldades de locomoção. Prestes lamentou a morte da elefanta em uma rede social. “Descanse em paz, minha guerreira. Acabou seu sofrimento em cativeiro”, escreveu.

Leia mais  MP pede informações sobre saúde de elefanta do Zoológico de Sorocaba

Na ocasião, a Prefeitura de Sorocaba, alegou tratar-se de um quadro de artrose. Desde maio deste ano, a elefanta apresentava dificuldade motora. A doença caracteriza-se pelo processo degenerativo das articulações, provocando desgaste das cartilagens e demais estruturas ali presentes. O problema está relacionado à idade.

Haisa chegou ao parque em 1995, já adulta, vinda de um circo. Estima-se que ela tinha mais de 60 anos. Para a espécie, a expectativa de vida em cativeiro é de 48 anos. Devido à idade avançada, ela recebia uma rotina de cuidados especiais, em prol da qualidade de vida.

Apuração

Na tarde de quarta (18), horas antes da morte da fêmea, o Ministério Público do Estado de São Paulo (MPSP) instaurou procedimento preparatório para inquérito civil sobre o estado de saúde do animal. O promotor Jorge Alberto Marum, autor da portaria, pediu à Prefeitura de Sorocaba informações sobre as condições de Haisa. A administração municipal tem 30 dias para apresentar esclarecimentos.

Nesta quinta (19), Marum afirmou que a morte da elefanta não suspende o processo.

Leia mais  Hoje é dia de comer BigMac e contribuir com trabalho do Gpaci

Zoo fechado

Nesta quinta (19), o zoológico ficou fechado, em luto por conta da morte de Haisa. O parque reabre para visitação nesta sexta-feira (20), feriado do Dia da Consciência Negra. (Vinicius Camargo) 

Comentários