Sorocaba e Região

Voos regulares comerciais podem voltar ao Aeroporto de Sorocaba

Mudança é prevista como reflexo do fim do Campo de Marte e privatização das operações em Sorocaba
Aeroporto de Sorocaba. Crédito da Foto: Adival B. Pinto/Arquivo JCS (31/7/2015)
Aeroporto de Sorocaba pode voltar a ter voos comerciais. Crédito da Foto: Adival B. Pinto/Arquivo JCS (31/7/2015)

Sorocaba poderá ter voltar a ter voos regionais regulares de passageiros a partir da implantação do Plano de Privatização de Aeroportos do Governo do Estado de São Paulo. A informação partiu do secretário de Logística e Transportes do Estado de São Paulo, João Octaviano Machado Neto, durante entrevista exclusiva ao Cruzeiro do Sul, nesta sexta-feira (11).

A cidade também poderá receber parte das operações do Campo de Marte, na capital, conforme afirmou o governador João Doria (PSDB).

O Aeroporto de Sorocaba começou a receber voos regulares no final dos anos 1990, quando a TAM Linhas Aéreas inaugurou a rota São Paulo-Sorocaba. A operação do serviço foi transferida para a OceanAir (hoje Avianca Brasil) em 2003, com a abertura de um novo destino, Rio de Janeiro. O serviço utilizava aeronaves Fokker-50 e foi desativado em meados de 2007.

“Isso tudo (a possibilidade de voos regionais regulares) virá dentro dessa discussão. A ideia da aviação regional é sempre bem vinda. Sorocaba passou a ter um papel e uma articulação regional muito importante”, garantiu o secretário.

Leia mais  Aeroporto de Sorocaba será privatizado, confirma governo de São Paulo

 

A ideia do governo estadual é criar uma dinâmica maior para os aeroportos que estão no programa de privatização. “A ideia é que você fomente muito o uso de voos regionais como vetor de desenvolvimento e receita para os municípios”, afirmou. Nesse contexto, o secretário também não descarta estudos para mudanças no terminal de passageiros da cidade.

“Quando você fala nesse novo uso, toda a logística entra em discussão. Você vai ter mais passageiros e você passa a ter uma questão mais ampla, além do vôo”, diz.

Para estabelecer o impacto das mudanças no Aeroporto de Sorocaba, o secretário aguarda um levantamento detalhado da limitação de cada aeroporto, espaço aéreo e rotas. “Vamos começar, a partir da próxima semana, a ter uma agenda junto às prefeituras, Aeronáutica e Daesp, para podermos desenhar o melhor cenário onde a gente vai encontrar cenários para a aviação executiva com a desativação do Campo de Marte”, diz.

As prefeituras, conforme ele, terão voz ativa no processo. “Certamente, serão peças fundamentais para que a gente possa chegar a uma boa solução”, acrescenta.

Sobre a internacionalização do aeroporto, que tramita em Brasília, Neto disse que a partir de agora haverá um novo impulso. Por fim, ele argumentou que todos os projetos, em especial sobre as mudanças do Campo de Marte, estarão avançados em fevereiro.

Campo de Marte

O governador João Doria pretende direcionar a partir de 2020 para os aeroportos do interior, incluindo Sorocaba, os voos que hoje operam no Campo de Marte em São Paulo. A alteração se dará devido à “quantidade elevada” de acidentes que acontece naquela pista — e também para viabilizar a construção de um parque no local, com investimento da iniciativa privada.

A proposta de Doria é dividir essa demanda entre Sorocaba e Jundiaí, pois os dois pontos estão situados em um raio aproximado de 100 quilômetros do Campo de Marte. “Sem prejuízo para as operações”, destaca o governador.

Segundo Doria, as pistas de Sorocaba e Jundiaí receberão a partir do próximo ano os monomotores, bimotores e os aviões a jato que atualmente decolam e pousam no Campo de Marte. (Marcel Scinocca)

Comentários

CLASSICRUZEIRO