Sorocaba e Região

Rodízio começa nesta quinta-feira (17) no Éden e Aparecidinha

A decisão foi tomada por conta do alto consumo que vem sendo verificado na cidade como um todo
Rodízio começa nesta quinta-feira (17) no Éden e Aparecidinha
Pelo menos 52 mil pessoas terão água controlada, informa o Saae. Crédito da foto: Fábio Rogério (15/9/2020)

As regiões dos bairros do Éden, de Aparecidinha e do Cajuru terão rodízio no fornecimento de água a partir desta quinta-feira (17). Medida irá atingir 52 mil pessoas em Sorocaba.

A medida abrangerá a região atendida pela Estação de Tratamento de Água (ETA/Éden), no formato 12h por 12h, ou seja, 12 horas de interrupção e 12 de abastecimento normal.

A decisão foi tomada por conta do alto consumo que vem sendo verificado na cidade como um todo, com picos que chegam a 50% acima da média considerada normal.

Chuvas e represas

Além da falta de previsão de chuvas significativas nos próximos dias, outro motivo para ser feito o rodízio foi a atual situação das represas que compõem o sistema Castelinho/Ferraz, que abastecem a ETA do Éden, que estão operando com 18% a 20% de sua capacidade total, e com declínio diário.

“Foram notados picos de 50% de aumento de consumo em relação à média histórica para as regiões do Éden, Cajuru, Aparecidinha e Zona Industrial, com elevação praticamente constante de 20% no consumo ao longo dos últimos cinco meses, decorrência da pandemia de Covid-19, devido ao fato das pessoas permanecerem em suas residências, como forma de prevenção e combate ao coronarívus”, informa o diretor-geral do Saae Sorocaba, Mauri Pongitor.

Prevenir para não faltar

Desta forma, a autarquia verificou que se não forem tomadas as ações neste momento, os dois mananciais correm o risco de chegar a um ponto crítico, impossibilitando a captação, visto que não há previsão, pelo menos em curto prazo, de chuvas com volume significativo.

O Saae garante o abastecimento por meio regulares ou caminhões-pipa aos usuários que prestam serviços essenciais, como hospitais, maternidades, unidades de saúde, escolas, unidades do sistema prisional, Corpo de Bombeiros, entre outros. (Da Redação)

Comentários