Sorocaba e Região

Presidente da Região Metropolitana diz que comissão de prefeitos ‘não tem validade’

Manga reuniu prefeitos de 16 cidades da região de Sorocaba para tentar flexibilizar regras da fase vermelha
Comissão Especial da Região Metropolitana de Sorocaba foi montada durante reunião no domingo (24). Crédito da foto: Divulgação / Prefeitura de Sorocaba

A presidente da Região Metropolitana de Sorocaba (RMS), Simone Marquetto (MDB), afirmou que a comissão montada por representantes de prefeituras “não tem validade alguma”. No domingo (24), o prefeito Rodrigo Manga (Republicanos) reuniu representantes de 16 cidades da RMS e montou uma Comissão Especial para tentar negociar a flexibilização das regras da fase vermelha, que restringe o funcionamento do comércio não essencial.

Simone, que é prefeita de Itapetininga, não esteve presente na reunião que aconteceu no Parque Tecnológico de Sorocaba. “O máximo que aconteceu no Parque Tecnológico foi uma conversa entre prefeitos. A convocação é feita por mim ou pela agência e todas as comissões são feitas por votação. Ele (Rodrigo Manga, prefeito de Sorocaba), pode fazer isso com o município dele, mas não em nome da Região Metropolitana. Com essa ação, ele pode até prejudicar os prefeitos e fazer com que os prefeitos não sigam o Plano SP, sofrendo sanções posteriores”, afirmou a presidente da RMS em nota.

Leia mais  Homem que mora em Registro desaparece em Sorocaba

“Infelizmente já há um grande conflito entre os governos federal e estadual que está deixando a população desorientada e não podemos agir da mesma forma. Precisamos agir com equilíbrio e diálogo, a exemplo do que sempre foi e tem sido feito em Itapetininga”, concluiu Simone.

Em nota, a Prefeitura de Sorocaba informou que “a prefeita Simone foi a primeira a ser convidada para a reunião emergencial entre as cidades da RMS. Ao telefone, mostrou-se bastante atenciosa e receptiva, dizendo que iria verificar a possibilidade de participação, sem demonstrar, em nenhum momento, alguma insatisfação sobre a iniciativa. Por nossa vez, nós não vamos medir esforços para fazer tudo o que estiver ao nosso alcance para auxiliar as cidades vizinhas, no que se refere à saúde e ao desenvolvimento econômico da região. Sorocaba, como maior cidade da região, têm condições de prestar assistência nesse sentido, neste momento tão difícil para todos, quando a união se faz fundamental”.

Nova reunião na RMS

Uma nova reunião, agora por videoconferência, foi convocada pela prefeita e o diretor da agência da região metropolitana, Márcio Tomazela, para esta segunda-feira (25), às 15h , para discutir a questão do Plano São Paulo e as regulamentações da região metropolitana.

Leia mais  Carros de aplicativo ganham vagas para atender passageiros

Segundo a nota enviada pela presidente da RMS, o convite também foi feito ao Secretário Estadual de Desenvolvimento Regional, Marco Vinholi, e a deputada Maria Lucia Amary (PSDB).

Comissão em São Paulo

A Comissão Especial da Região Metropolitana de Sorocaba que está no meio da discussão com a presidente da RMS foi formada neste domingo (24). Ela é composta voluntariamente por sete prefeitos das cidades da região, incluindo: Sorocaba, que lidera a comitiva, Votorantim, Iperó, Ibiúna, Araçoiaba da Serra, Salto e Piedade.

A iniciativa visa levar essas propostas à reunião com o secretário de Desenvolvimento Regional do Estado, Marco Vinholi. O encontro, que será em São Paulo, já foi agendado pelo prefeito de Sorocaba, Rodrigo Manga, para esta segunda-feira (25) durante a manhã, segundo a Prefeitura de Sorocaba. “Estamos levando propostas técnicas para apresentar soluções para que a população tenha garantia de assistência a saúde, mas também sem prejudicar o comércio local”, afirmou Manga em uma publicação no Facebook nesta segunda-feira (25), a caminho da capital.

Durante a reunião do domingo (24), foram apresentados os dados epidemiológicos da RMS, destacando os critérios do governo estadual para o estabelecimento das fases do Plano São Paulo. Um desses critérios é a ocupação de leitos, anteriormente delimitada em 85% para permanecer na Fase Laranja. Sorocaba tem, hoje, o índice médio de 77% e estaria, portanto, abaixo dessa faixa. No entanto, recentemente, o governo do Estado mudou esse critério, diminuindo para 75% o índice de ocupação, o que muda a condição de Sorocaba e demais municípios da RMS. O encontro permitiu que se formulasse um conjunto de propostas a ser apresentado ao Governo do Estado nesta segunda-feira. (Jomar Bellini)

Comentários