Sorocaba e Região

Polícia termina de identificar carros retirados de pedreira em Salto de Pirapora

Maioria dos veículos está em nome de seguradoras e tem queixas de furto e roubo
Após serem retirados do lago, os 13 carros passaram por perícia. Crédito da foto: Vinícius Fonseca (25/09/2020)

A identificação dos 13 carros retirados de uma pedreira desativada em Salto de Pirapora foi concluída. A perícia nos quatro últimos foi realizada na manhã desta sexta-feira (2).

Conforme o delegado Rodrigo Ayres, titular da Divisão Especializada de Investigações Criminais (Deic), nove veículos foram vistoriados na segunda-feira (28). Os demais não foram periciados no mesmo dia porque estavam empilhados. Esse fator dificultava a identificação e, para a análise, foi preciso desempilhá-los.

A identificação ocorreu por meio dos números do motor, do chassi, do câmbio, entre outros sinais. Alguns tinham placas. Para averiguar se eram clonados e outras irregularidades, todos passaram por perícia completa.

A maioria dos veículos está registrada em nomes de seguradoras. Além disso, segundo o delegado, vários deles também têm queixas de furto e roubo.

Ainda de acordo com Ayres, por enquanto, os trabalhos periciais foram encerrados. Agora, a polícia vai aguardar o resultado dos laudos. As investigações já foram iniciadas. A Polícia Civil tenta descobrir a identidade dos proprietários dos carros. Também apura a possível prática de crimes envolvendo o caso, como fraude para recebimento de seguro.

Leia mais  Deputado Capitão Derrite apoia tratamento precoce em Sorocaba

Retirada

Os carros foram retirados da lagoa no dia 25 de setembro. Eles foram içados por meio de cabos de aço e puxados por um guindaste. Depois, foram colocados em guinchos e levados para um pátio particular.

Os veículos estavam submersos e foram encontrados após o nível da água da pedreira baixar mais de vinte metros, por conta da estiagem. Na ocasião, a água do lago também foi remanejada para um rio, no intuito de ajudar no abastecimento da cidade.

Ayres afirma que ainda há dois veículos no local. Eles não foram removidos porque estão em uma grande profundidade. Para isso, será necessário aguardar o nível da pedreira baixar ainda mais ou solicitar o auxílio de mergulhadores.

Os investigadores suspeitam que os veículos eram “desovados” no local por conta do chamado golpe contra seguradoras. (Da Redação) 

Comentários