Sorocaba e Região

Funcionários do Banco do Brasil aderem a mais uma paralisação

A manifestação começou nesta quarta-feira e tem duração de 24h
Apenas o atendimento negocial e o autoatendimento estão disponíveis para os usuários.. Crédito da foto: Fernando Rezende

Os funcionários das agências do Banco do Brasil (BB) aderiram a mais uma paralisação, nesta quarta-feira (10), contra o pacote de reestruturação proposto pelo governo federal. A manifestação tem duração de 24h e, desta vez, participam todos os caixas das agências de Sorocaba e Votorantim.

De acordo com o Sindicato dos Bancários, apenas o atendimento negocial, realizado pelos gerentes das agências, e o autoatendimento estão disponíveis para os usuários.

Ainda conforme o sindicato, a primeira paralisação, feita no dia 29 de janeiro, resultou em uma conversa com os banqueiros, que se mostraram inflexíveis à negociações.

Esta nova manifestação tem como objetivo pressionar o BB a uma nova conversa. “Uma coisa é a instituição lançar o Programa de Demissão Voluntária (PDV), que oferece algumas vantagens. A outra é provocar o pavor entre os colegas, retirando direitos. Hoje, os trabalhadores do BB estão dando uma resposta a essa provocação feita pela instituição financeira que tem uma função social das mais importantes no país”, explica o diretor do Sindicato dos Bancários, Júlio César Machado.

Pacote de reestruturação

O plano prevê o fechamento de mais de 300 agências, além de 5 mil demissões em todo o país. As determinações também incluem mudanças em 870 pontos de atendimento por meio do fechamento de agências, postos de atendimento e escritórios e a conversão de 243 agências em postos. A transformação de oito postos de atendimento em agências, de 145 unidades de negócios em Lojas BB, transferência de local de 85 unidades de negócios e a criação de 28 unidades de negócios.

Leia mais  Saae retira algas da bacia de contenção do Jd. Abaeté

Segundo o Banco do Brasil, a reestruturação visa ganhos de eficiência operacional. A estimativa é economizar R$ 353 milhões em 2021 e R$ 2,7 bilhões, até 2025. Uma dos objetivos da instituição é reduzir as agências físicas e reforçar a presença digital. Atualmente, o banco tem 22 milhões de clientes digitais e quer captar mais 5,5 milhões em 2021. (Da Redação)

 

Comentários