Sorocaba e Região

Fogos do Natal provocam fugas de cães e deixam tutores aflitos em Sorocaba

Cachorros fugiram assustados pelo barulho provocado pelos fogos de artifício e ainda não voltaram para suas casas
A cadela Meg pulou o portão de uma residência no Éden e desapareceu. Crédito da Foto: Divulgação

Ao invés de festa e alegria, o feriado do Natal representou apreensão para algumas famílias de Sorocaba que tiveram a fuga de seus animais de estimação por causa do barulho dos fogos de artifício.

Assustada com o barulho dos “rojões”, a cadela Meg pulou o portão da residência na rua Salvador Pereira de Camargo, no Éden, e correu assustada pelo bairro. Está desaparecida há três dias, para tristeza da família da estudante Thais Reis, de 21 anos.

 

“Meg sempre teve medo de rojões e dessa vez acabou saindo do quintal. É uma coisa desnecessária, existem outras formas de comemorar”, lamenta a tutora. Quem tiver notícias de Meg pode entrar em contato pelos telefones (15) 98161-8271 ou (15) 98112-0930.

Tedy sumiu no Jardim Aeroporto, zona norte de Sorocaba. Crédito da Foto: Divulgação

Situação parecida vive a família de Tedy, um mestiço de cinco anos que fugiu na noite da véspera do Natal no Jardim Aeroporto, zona norte de Sorocaba. A recepcionista Lucimar Oliveira Silva, de 28 anos, está à procura dele desde então. Informações podem ser dadas pelo telefone (15) 99814-6580.

Yorkshire Charlie fugiu no jardim Alvorada, próximo de George Oetterer. Crédito da Foto: Divulgação

No bairro Alvorada, próximo de George Oetterer, na divisa entre Iperó e Sorocaba, a autônoma Maria Luiza Pereira, de 20 anos, procura o yorkshire Charlie, de cinco. Ele fugiu na manhã do dia 25 depois de passar a noite perturbado pelo barulho. Os telefones para contato são: (15) 99677-9612 e (15) 99854-2060.

Cuidados

O veterinário Yuri Guilherme Grazi de Almeida alerta que o ano-novo representa perigo pois nessa data normalmente se utiliza uma quantidade maior de fogos. Por isso, os tutores devem se precaver e, sob hipótese alguma, deixar o pet sozinho.

“O ideal é que, em caso de viagem, se procure um hotel para animais ou o leve consigo se for visitar algum parente. Os animais vivem em bando e a solidão aumenta uma situação de medo”, observa. O veterinário também sugere colocar o pet em local seguro e tranquilo, longe de portas de vidro ou outros obstáculos que representem perigo, e sem acesso à saída para a rua.

Para minimizar o desconforto dos fogos na hora da virada de ano, uma das técnicas é envolver o animal com um pano, cruzando-o sobre as costas, o abdômen e o dorso. “Há pessoas que colocam algodão no ouvido do animal, mas isso não é efetivo”, afirma Yuri. (Da Redação)

Comentários