Sorocaba e Região

Em Iperó, Bolsonaro participa do início da montagem de reator nuclear da Marinha

Cerimônia marca início da montagem de reator que será usado primeiro submarino brasileiro com propulsão nuclear
Bolsonaro participa do início da montagem de reator nuclear da Marinha, em Iperó. Crédito da Foto: Fábio Rogério (21/10/2020)

Atualizada às 12h58

O presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido), visita o Centro Experimental de Aramar, em Iperó, na manhã desta quarta-feira (21). Bolsonaro acompanha a cerimônia em comemoração ao início da montagem do reator embarcado no protótipo da planta de propulsão. Futuramente, a tecnologia será aplicada na construção do Álvaro Alberto, o primeiro submarino brasileiro com propulsão nuclear.

Bolsonaro chegou a Aramar às 10h25 com o helicóptero presidencial vindo do aeroporto de Viracopos, em Campinas. Ele está acompanhado de três ministros: o da Defesa, Fernando de Azevedo e Silva, o de Ciência e Tecnologia Marcos Pontes, e o General Augusto Heleno, que é ministro-chefe do Gabinete de Segurança Institucional (GSI) da Presidência da República.

A solenidade acontece no Laboratório de Geração Nucleoelétrica (Labgene), onde o protótipo está sendo construído. O projeto é conduzido pelo Programa Nuclear da Marinha (PNM), por intermédio do Programa de Desenvolvimento de Submarinos (Prosub).

Bolsonaro assiste apresentação da Marinha do Brasil sobre o projeto nuclear. Crédito da Foto: Fábio Rogério (21/10/2020)

Além do presidente e dos ministros, o comandante da Marinha do Brasil, almirante de Esquadra Ilques Barbosa Júnior, também participa da celebração junto com outras autoridades e representantes de órgãos, instituições e empresas participantes do PNM e do Prosub.

Antes da cerimônia, o comandante da Marinha conversou com a imprensa e falou sobre o início da montagem do reator embarcado no protótipo da planta de propulsão, entre outros detalhes do projeto. “Foram gastos em torno de R$ 35 bilhões em todo o processo. Se considerarmos que começamos em 2008, dá cerca de R$ 2,5 bilhões por ano, o que significativa para a estrutura econômica do Brasil não é muito dinheiro frente aos ganhos de emprego. Estamos falando de quase 40 mil indiretos, 20 mil diretos, 200 empresas e 23 universidades trabalhando conosco. A externalidades positivas são muito importantes. Faltam ainda R$ 17 bilhões”, detalhou.

Visita

Durante a visita em Aramar, o presidente participou de uma apresentação sobre o projeto de reator nuclear da Marinha do Brasil em Iperó. Em seguida, plantou uma muda de árvore da espécie pau-brasil e seguiu para a solenidade no Labgene.

Leia mais  Bolsonaro participa de transmissão de comando da Aeronáutica

Ainda em Aramar, conheceu o protótipo do submarino nuclear e fez elogios ao falar sobre o projeto. “Estive aqui há 15 anos, enquanto deputado federal e sempre fui apaixonado por essa área. Isso aqui nos orgulha. Temos tecnologia de ponta e que poucos países no mundo podem ter”

Após a visita, Bolsonaro seguiu para Campinas, onde participa da cerimônia de abertura da Primeira Linha de Luz Sirius no Centro Nacional de Pesquisa em Energia e Materiais.

Montagem do reator

A Marinha do Brasil lembra que o início da montagem do reator corresponderá ao chamado “batimento de quilha”. Trata-se de uma tradição naval que representa o início da construção de um navio. No caso da planta nuclear, a tradição será seguida com a instalação de uma sela fixa sobre o inserto metálico do vaso de contenção, que também é chamado de “Bloco 40” no Labgene.

Nas próximas etapas do programa, o reator, os turbogeradores, o motor elétrico e outros sistemas similares aos de um submarino com propulsão nuclear serão testados de forma controlada no Labgene. O objetivo principal é o de validar, de forma segura, a operação do reator e dos diversos sistemas eletromecânicos a ele integrados, antes de sua instalação a bordo do submarino.

Leia mais  Atendimentos de Covid-19 caem 40% após medidas restritivas, afirma Manga
Presidente Bolsonaro visita Aramar hoje
O projeto é conduzido pelo Programa Nuclear da Marinha e a solenidade começa às 10h. Crédito da foto: Divulgação

Ainda conforme a Marinha, ao final dos testes, um reator similar ao que começa a ser montado no Labgene será instalado no submarino “Álvaro Alberto”, no Complexo Naval de Itaguaí, Sul do Estado do Rio de Janeiro, onde já estão sendo construídos ou testados os quatro submarinos com propulsão dieselelétrica também previstos no Prosub: o Riachuelo (S-40), o Humaitá (S-41), o Tonelero (S-42) e o Angostura (S-43).

O projeto, que é estratégico para o Brasil, teve seus primeiro passos ainda durante o regime militar. Com o PNM e o Prosub, que são dois programas da Defesa, o Brasil conquistará a capacidade de projetar, construir, operar e manter submarinos com propulsão nuclear, competências detidas atualmente por apenas cinco países: Estados Unidos, Reino Unido, França, Rússia e China.

Presidente Bolsonaro visita Aramar hoje
O protótipo da planta de propulsão foi construído em Iperó. Crédito da foto: Erick Pinheiro

Sem convites

A Prefeitura de Sorocaba não terá representante ou comitiva no ato presidencial. O mesmo ocorrerá com a Prefeitura de Iperó, anfitriã do evento. A informação foi confirmada pelo secretário de Comunicação da Prefeitura de Sorocaba, Marcelo Andrade, e pelo prefeito de Iperó, Vanderlei Polizeli (sem partido). O motivo, conforme os dois, é que não houve convite. “Até o momento não tivemos nenhum convite oficial da Marinha do Brasil ou da Presidência da República. Acreditamos ser algo reservado aos militares”, opinou o chefe do Executivo iperoense.

Leia mais  Estados acertam estratégia própria contra a pandemia

Quinto presidente

O prefeito Vanderlei Polizeli também relembrou que Jair Bolsonaro é pelo menos o quinto presidente da República que visita o município, nas instalações da Aramar. O primeiro foi José Sarney, quando Aramar foi inaugurada, em abril de 1988. Fernando Henrique Cardoso (PSDB) também visitou o local durante o segundo ano de seu primeiro mandato, em 1996. Após ele, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) também participou de evento no local, em julho de 2007, quando anunciou investimentos de mais de R$ 1 bilhão para o projeto. O último presidente a visitar as instalações militares de Aramar foi Michel Themer (MDB), em 2018. Themer já havia visitado o local na condição de vice-presidente da República, em 2011 e 2012.

Essa é a segunda passagem de Bolsonaro por uma cidade na Região Metropolitana de Sorocaba. Em setembro, ele foi até Tapiraí, onde permaneceu por 35 minutos e cumprimentou apoiadores. (Ana Cláudia Martins e Marcel Scinocca)

Comentários