Sorocaba e Região

Defesa Civil emite alerta de calor intenso no Estado nesta semana

Em Sorocaba, temperatura deve ficar entre 30ºC e 39ºC e umidade relativa do ar atingirá níveis mais críticos
Onda de calor deve elevar temperaturas em Sorocaba
Orientação é evitar a prática de atividades físicas entre 11h e 17h. Crédito da foto: Fábio Rogério / Arquivo JCS (10/9/2020)

Após um fim de semana com temperaturas um pouco mais amenas, o calor volta a aparecer no Estado de São Paulo no início desta semana. Entre esta terça-feira (6) e domingo (11) persistirá a sensação de calor intenso e, em alguns momentos, de calor severo, com o pico entre quinta-feira (8) e sexta-feira (9). A sensação térmica pode variar entre 40°C e 45°C. A Defesa Civil do Estado alerta para problemas como desidratação e doenças respiratórias.

Na região de Sorocaba, previsão é de que onda de calor deixe as temperaturas entre 30ºC e 39ºC. Na semana passada, a cidade de Sorocaba registrou recorde de calor, quando a temperatura chegou a 38,8ºC na sexta-feira (2), segundo os dados da estação meteorológica instalada da Faculdade de Tecnologia (Fatec) no Alto da Boa Vista.

A partir de quinta-feira, segundo a Defesa Civil, poderão ocorrer pancadas de chuva forte, com possível queda de granizo, em pontos isolados. No Vale do Ribeira, Serra da Mantiqueira e Baixada Santista, a sensação térmica ficará na casa dos 35°C. No Litoral Norte, em 40°C e nas regiões de Bauru, Araraquara, Marília, Ribeirão Preto, São José do Rio Preto, Presidente Prudente, Araçatuba e Barretos, a sensação térmica tende a ultrapassar os 45°C.

Umidade baixa

De acordo com nota divulgada pela Defesa Civil de São Paulo, a umidade relativa do ar atingirá níveis mais críticos. “Também podemos ter piora na qualidade do ar, principalmente nos grandes centros urbanos. A umidade relativa afeta o organismo de todos os seres vivos. Valores abaixo de 40%, além de dificultarem a dispersão de poluentes, provocam o ressecamento das mucosas das vias aéreas, tornando a pessoa mais vulnerável a doenças respiratórias e a infecções virais e bacterianas”, ressalta a nota.

A baixa umidade do ar também favorece o aparecimento de problemas oculares, alergias e desidratação, sendo um sério risco, principalmente para crianças e idosos.

A orientação do órgão é aumentar a ingestão de líquidos, frutas e vegetais; manter olhos e vias nasais hidratados, com colírios e soros ou lavando-os; utilizar umidificadores e/ou toalhas úmidas nos cômodos da casa; evitar o uso de ar-condicionado, pois este deixa o ar mais seco; e evitar atividades físicas entre 11h e 17h.

A economia de água também é importante neste período. A população pode contribuir adotando algumas medidas simples, como evitar banhos demorados e lavar os quintais e calçadas. (Da Redação, com informações do Estadão Conteúdo)

Comentários