Covid-19 Sorocaba e Região

Cidades da região de Sorocaba intensificam restrições contra Covid

Prefeituras proíbem venda de bebidas alcoólicas e usam drones para fiscalizar aglomerações
Salto de Pirapora e Araçariguama proíbem venda de bebidas alcoólicas no fim de semana. Crédito da Foto: Depositphotos.com

Além das barreiras sanitárias, várias cidades da Região Metropolitana de Sorocaba (RMS) estão adotando novas medidas e intensificando a fiscalização para evitar aglomerações e a disseminação do novo coronavírus, principalmente durante o período de feriado antecipado na capital.

Os municípios apontam o aumento na fiscalização de aglomerações como um dos principais focos. Na cidade de Itapetininga, a prefeita Simone Marquetto (PMDB), que também é presidente da RMS, estipulou multa de mais de R$ 4 mil para flagrantes de festas clandestinas.

Boituva adotou como estratégia o uso de drones, que vão sobrevoar chácaras e condomínios. Segundo o prefeito Edson Marcusso (Cidadania), a iniciativa tem o objetivo reprimir eventuais ajuntamentos que, neste momento, estão proibidos.

Araçoiaba da Serra pediu ajuda para a Polícia Militar, formando uma força-tarefa, para impedir a realização de festas e aglomerações, especialmente em chácaras, bem como a venda de bebidas alcoólicas em bares e adegas que só poderão funcionar até às 20h.

Em Tatuí, a prefeita Maria José Vieira de Camargo (PSDB) proibiu o aluguel de chácaras para festas e outros eventos enquanto a região estiver nas fases emergencial e vermelha. A regra está prevista no decreto publicado na terça-feira (23) e já está em vigor. A punição aos infratores, com multas, está prevista no Código Sanitário Estadual.

Leia mais  Votorantim inicia cadastro para pessoas de 68 anos receberem vacina

Já Araçariguama adotou a chamada “lei seca”, proibindo a venda e consumo de bebida alcoólica em qualquer estabelecimento comercial da cidade entre 0h de sábado e 6h de segunda-feira e de segunda às sextas-feiras das 17h às 6h. O decreto do prefeito Rodrigo Andrade (Pros) também suspende o atendimento presencial em supermercados, mercados, açougues, peixarias, hortifrúti, quitandas, centros de abastecimentos de alimentos e laticínios nos próximos dois finais de semana (dias 27 e 28 de março e 3 e 4 de abril). Os estabelecimentos comerciais só poderão funcionar no sistema delivery.

Outra cidade que proibiu a venda de bebidas no fim de semana é Salto de Pirapora. O decreto do prefeito Matheus Marum (PSDB) foi publicado na quarta-feira (24) e prevê multa de cerca de R$ 400,00 em caso de descumprimento. Em caso de flagrante de eventos, o decreto aumenta a multa para os responsáveis para R$ 5 mil e também proíbe o estacionamento de veículos em praças e outros endereços da cidade entre 20h e 5h. O decreto de Salto de Pirapora também suspende as aulas presenciais em escolas particulares a partir de segunda-feira (29). (Jomar Bellini)

Comentários