fbpx
Sorocaba e Região

Caso de chimpanzé com cigarro em Sorocaba tem inquérito aberto pelo MP

No documento, o promotor solicita informações sobre os fatos aos representantes do santuário

O caso de um chimpanzé que aparece em um vídeo fumando um cigarro no Santuário dos Grandes Primatas de Sorocaba será investigado pelo Ministério Público. O promotor de Justiça do Meio Ambiente de Sorocaba, Jorge Alberto de Oliveira Marum, abriu um inquérito civil sobre o caso.

No documento, Marum solicita informações sobre os fatos aos representantes do santuário. O local é filiado ao The Great Ape Project (GAP).

O promotor também solicita contato com a Polícia Civil para saber se foi instaurada investigação na esfera criminal. Segundo Marum, os autores podem ser responsabilizados civil e criminalmente por maus-tratos ao animal.

O santuário também informou que está tomando medidas legais na esfera criminal e civil para punição dos responsáveis. Também para a reparação do dano causado à integridade dos animais residentes.

O ativista Honno Cahon, membro do Conselho de Defesa Animal de Sorocaba, informou que a entidade tomou conhecimento dos fatos. Está agendanda uma visita ao local para apurar o ocorrido. “Nosso objetivo é priorizar o bem estar do animal”, diz. Segundo ele, a visita deve ocorrer na próxima semana.

Vídeo registrou a ação

A abertura do inquérito ocorre depois que um vídeo, que registra a ação, passou a circular pelas redes sociais. As imagens ganharam notoriedade na noite de terça-feira (20), após serem compartilhadas pela ativista Luisa Mell em uma rede social.

Nas imagens, o animal já aparece com o cigarro na boca. Dois jovens falam no vídeo – enquanto um ri, outro, que inclusive mostra seu rosto, diz que “está fumando um com o brother” (sic). Depois, o outro rapaz observa que chimpanzé queimou a boca.

Suspeita de invasão

O santuário, por sua vez, informou que os responsáveis pelo ato não fazem parte do seu quadro de funcionários. A suspeita, segundo o santuário, é que a dupla tenha invadido o local.

“Burlando a segurança da propriedade, provavelmente acessada por meio de outra propriedade aos fundos, além do crime de invasão, os autores cometeram crime ambiental de maus-tratos aos animais, fazendo-o inalar substâncias tóxicas nocivas ao seu organismo”, destaca por meio de nota.

O texto destaca ainda que os invasores colocaram em risco as suas próprias vidas e a integridade física dos animais residentes. “No vídeo, a dupla ri e zomba da cena, gargalhando pelo fato do chimpanzé parecer ter queimado a boca com o cigarro. Durante o próprio vídeo o chimpanzé já começa a fazer movimentos repetitivos, mostrando estar estressado com o ocorrido”.

O santuário é uma propriedade privada dedicada à reabilitação de animais, em sua maioria vítimas de maus tratos e que são provenientes de circos e zoológicos do Brasil e de outros países. O local fica na zona rural de Sorocaba, às margens da rodovia Castelo Branco. O chimpanzé, uma das espécies abrigadas, é ameaçado de extinção.

Local recebeu o chimpanzé Black

O Santuário dos Grandes Primatas de Sorocaba é conhecido por abrigar um hóspede famoso: o chimpanzé Black, que foi alvo de uma disputa judicial e foi transferido ao local em maio deste ano. O animal residia no Parque Zoológico Municipal Quinzinho de Barros. A mudança de Black ocorreu após uma decisão da Justiça.

Veterinários e biólogos divergem sobre o tema, pois alguns afirmam que o chimpanzé já está habituado com a rotina e com as pessoas do zoológico, enquanto as duas entidades alegavam que, no santuário, o animal poderia interagir com outros primatas e não precisaria mais conviver com o estresse causado pela visitação.

O Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP), para decidir pela transferência de Black, se baseou também no parecer técnico do biólogo Sérgio Greif. Segundo ele, o que mais pode causar incômodo em Black é o fato de viver sozinho, sem contato com outros primatas. (Da Redação)

Comentários

CLASSICRUZEIRO