Sorocaba e Região

Bebê que passou mal em hospital de Sorocaba após visita da mãe está estável

O caso foi registrado como violência doméstica e lesão corporal consumada na Delegacia de Defesa da Mulher de Sorocaba
Fachada da Delegacia de Defesa da Mulher de Sorocaba. Crédito da foto: Fábio Rogério

O bebê de 10 meses que passou mal após visita da mãe no hospital Gpaci, em Sorocaba, está estável. O boletim médico divulgado pela instituição na manhã desta terça-feira (24) confirma que o paciente não corre risco de morrer.

Conforme o hospital, o menino apresentou melhora clínica. “Caso esteja mantida a estabilidade neurológica que apresenta, o paciente poderá deixar a ala de emergência e voltar à ala pediátrica no final da tarde de hoje”.

O bebê está internado há um mês no Gpaci, é portador de cardiopatia congênita e deu entrada com quadro de pneumonia. Na última semana, de acordo com o hospital, ele apresentou melhora e estabilidade clínica.

Sintomas de intoxicação

Porém, no domingo (22), o estado do paciente se agravou. Segundo o Gpaci, ele passou a apresentar quadro compatível com intoxicação por causas externas. A criança foi transferida para a emergência, onde recebeu os cuidados necessários.

Na ocasião, um médico do hospital acionou a Polícia Militar e relatou que a criança teria passado mal após visita da mãe, que é estrangeira. Conforme o boletim de ocorrência, ela ficou no quarto por 40 minutos e depois disso o menino perdeu a consciência e entrou em coma.

Ainda segundo o registro policial, um funcionário da unidade teria visto a mãe fazendo movimentos circulares na boca da criança. A ação teria ocorrido enquanto a estrangeira fazia uma chamada de vídeo com uma pessoa no celular, com quem falava em outro idioma.

Intoxicação é investigada

Ainda no domingo, uma equipe médica recolheu uma amostra de sangue da criança para investigar a razão da intoxicação. A amostra foi enviada ao Centro de Informação e Assistência Toxicológica (Ciatox) da Faculdade de Medicina da Unicamp.

A ocorrência foi registrada como violência doméstica e lesão corporal consumada na Delegacia de Defesa da Mulher de Sorocaba. A equipe está responsável pelas investigações. O Conselho Tutelar de Sorocaba também acompanha o caso.

O Gpaci acrescentou, em nota, que está colaborando com as autoridades policiais e municipais para a elucidação do caso. (Da Redação)

Leia mais  Banco de Leite atende apenas 40% dos bebês internados em hospitais
Comentários