Esporte São Bento

Clubes sugerem que FPF entre na Justiça para dar continuidade ao Paulista

São Bento, que entraria em campo amanhã (17), está no olho do furacão da decisão
Verdão terá Gabriel Veron contra Galo
Gabriel Veron em treino do Palmeiras, vestindo máscara de proteção. Crédito da foto: Cesar Greco / Ag. Palmeiras

A terça-feira foi um dia turbulento para aqueles que estavam esperando uma definição sobre o jogo entre São Bento e Palmeiras, pela terceira rodada do Campeonato Paulista. A partida, por ora, continua suspensa, e existe a possibilidade de entrada na Justiça na tentativa de dar continuidade ao estadual.

Até a noite da última segunda (15), o duelo estava previsto para acontecer em Belo Horizonte, na Arena Independência, já que o Governo de São Paulo suspendeu competições esportivas no Estado até dia 30 de março, como uma forma de conter o avanço do coronavírus.

No entanto, no início da manhã desta terça (16), o Governo de Minas Gerais proibiu a realização do compromisso em solo mineiro, alegando o início de uma “Onda Roxa”, que não permite jogos entre clubes de outro Estado, afetando, portanto, São Bento e Palmeiras.

Leia mais  Abel retorna ao Palmeiras após férias em Portugal

“Hoje soubemos, por meio do Pedro Martins, da Federação Paulista de Futebol, que o governador de Minas decretou a fase roxa lá também. Ele está aguardando a confirmação do presidente Reinaldo (Carneiro Bastos, da FPF) do jogo. A princípio, ele deixou tudo marcado para a gente seguir hoje (terça) no mesmo procedimento como se tivesse o jogo”, afirmou Almir Laurindo, presidente do Bentão, quando ainda não havia a confirmação da Federação Paulista de Futebol sobre o caso.

Pouco tempo depois, porém, a FPF manifestou-se e confirmou que o duelo estava suspenso em Belo Horizonte. Na tarde desta terça, a entidade e os 16 clubes da Série A1 se reuniram virtualmente para definir medidas e tentar reverter o cenário. No final da tarde, a Federação afirmou que, com apoio do Sindicato dos Atletas, Treinadores e Árbitros, resolveu manter o calendário de jogos.

Leia mais  Lewandowski sofre lesão, desfalca Polônia e preocupa Bayern

Reunião entre Federação e clubes

Para que isso aconteça, porém, a FPF afirmou que está trabalhando em conjunto com a CBF para agendar partidas em outros Estados e, “a partir da falta de argumentos científicos e médicos que sustentem a paralisação das referidas rodadas neste momento, os clubes delegaram à FPF também a possibilidade de judicialização do caso para garantir a continuidade da competição no Estado de São Paulo neste período de Fase Emergencial”.

Ou seja, na nota, a FPF afirma que foi autorizada pelos 16 clubes a partir para a Justiça, caso seja necessário, para obter a continuidade do estadual até o dia 30 de março. No entanto, a primeira opção é encontrar outros Estados que estejam disponíveis para receber as partidas.

São Bento para trás

O jogo de amanhã entre São Bento e Palmeiras é válido pela terceira rodada do Paulistão e seria, a princípio, disputado em Sorocaba. Com a fase emergencial do plano de contenção do coronavírus, a partida foi suspensa, passou para Belo Horizonte e está novamente suspensa, até o fechamento desta edição.

Com isso, o Azulão ficará quatro jogos atrasado no período de paralisação, faltando as disputas contra Palmeiras, Santo André, São Caetano e Corinthians. (Marina Bufon)

Comentários