Brasil

‘Vontade de mandar a conta para o ministro’, diz Doria sobre caso André do Rap

Estado de São Paulo está gastando cerca de R$ 2 milhões em pessoal e material para recapturar o traficante
Governador João Doria durante coletiva de imprensa. Crédito da Foto: Divulgação / Governo de SP

O governador João Doria (PSDB) disse nesta sexta-feira (16) durante entrevista coletiva para tratar de ações de recuperação econômica após a pandemia que tinha “vontade de mandar a conta para o ministro” Marco Aurélio de Mello. A frase foi durante um comentário sobre os custos que as polícias do Estado estão tendo no processo de tentativa de recaptura do traficante André Oliveira Macedo, o André do Rap. Segundo Doria, o Estado de São Paulo está gastando cerca de R$ 2 milhões em pessoal e material para recapturar André do Rap.

Considerado um dos líderes da facção Primeiro Comando da Capital (PCC), André do Rap está foragido após ter sido beneficiado por uma decisão do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) que libertou o então detento. Marco Aurélio mandou soltar André do Rap ao seguir um entendimento de que prisões preventivas que não são renovadas a cada 90 dias devem ser extintas, segundo uma mudança legal determinada pelo Pacote Anticrime, aprovado no ano passado. Doria já havia criticado a decisão do ministro anteriormente, dizendo que “lugar de bandido é na cadeia”.

Na quarta, quando começou o julgamento do caso no STF, Doria já havia classificado como “lamentável” a decisão do ministro Marco Aurélio Mello. Ele afirmou que “a imagem do criminoso saindo de um presídio de segurança máxima pela porta da frente é um deboche à opinião publica e à polícia de São Paulo e disse ser “lamentável que um líder do PCC tenha sido libertado por um magistrado experiente.”

Em julgamento, o Supremo decidiu por 9 x 1 que André do Rap deve voltar à prisão.

Buscas

Na terça-feira (13), a Polícia Civil de São Paulo incluiu André do Rap em sua lista de mais procurados. O traficante também teve o nome incluído na lista de procurados do Ministério da Justiça e Segurança Pública e a Polícia Federal também pediu a inclusão dele na difusão vermelha da Interpol.

No final de semana, a Secretaria de Segurança de São Paulo informou que colocou policiais dos departamentos Estadual de Investigações Criminais (DEIC), de Homicídios e de Proteção à Pessoa (DHPP) e de Operações Policiais Especiais (DOPE) em busca de André do Rap.

André do Rap teve a prisão temporária decretada em abril de 2014, junto com outros 10 suspeitos, após a deflagração das Operações Hulk e Overseas pela Polícia Federal. Ele foi preso em 15 de setembro de 2019, após passar cinco anos foragido. À época, ele foi encontrado pela polícia em uma mansão em Angra dos Reis, na Costa Verde fluminense. (Estadão Conteúdo)

Comentários