TV Cruzeiro

Ministério Público abre as portas para ficar mais próximo do cidadão

Ministério Público quer mostrar que pode fazer muito mais pelos interesses do cidadão
Molineiro foi recebido pelo promotor de Justiça e membro da FUA, Antônio Farto Neto (ao centro) e pelo editor-chefe Romeu-Sérgio Osório. Foto: Erick Pinheiro

O presidente da Associação Paulista do Ministério Público (APMP), Procurador de Justiça e sorocabano, José Oswaldo Molineiro, visitou nesta quarta-feira (31) a redação do jornal Cruzeiro do Sul, no Alto da Boa Vista, em Sorocaba, onde foi entrevistado pelo editor-chefe, Romeu-Sérgio Osório. Molineiro esteve na cidade natal para divulgar a campanha “O MP é Nosso”, que marca os 80 anos de fundação da entidade e pretende mostrar para a população que o órgão é um importante parceiro do povo. “O MP é da sociedade e é uma honra para o promotor ser o ministro do povo. O cidadão deve exercer sua cidadania e ir até o Fórum e pedir para falar com o promotor, que ele será atendido”, destaca.

Assista a essa agradável conversa na TV Web do jornal Cruzeiro do Sul:

Para o presidente da APMP, a população precisa se conscientizar de que a atuação do MP alcança os mais variados segmentos da atividade humana. Segundo ele, a campanha leva ao cidadão a mensagem de parceria que pode ser exercida em áreas como infância e juventude, idoso, pessoas com deficiência, consumidor, meio ambiente, criminal, cível, família, entre outros. “O MP é do povo e está mais presente na vida do brasileiro do que se possa imaginar. Os promotores são sobretudo profissionais a serviço da população. Temos essa nobre missão de defender a democracia e a garantia dos direitos das pessoas”, afirma Molineiro.

O Procurador também falou sobre o crescimento das atribuições do MP a partir da Constituição Federal de 1988, quando o órgão deixou de atuar somente na área criminal, combatendo o crime organizado. Além disso, ele destacou ainda o importante papel do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) em ações de combate à corrupção e ao crime organizado, que nos últimos dois anos recuperou aos cofres públicos R$ 1,77 bilhão. “O Gaeco nasceu na Capital e por iniciativa minha a partir de 2001 se espalhou pelo Estado com 15 regionais na época”, explica.

Molineiro também falou sobre a diferença entre o MP estadual e o federal, esclarecendo que o MPF atua somente em questões relacionadas à União, mas que o trabalho dos promotores, seja estadual ou federal, é praticamente o mesmo. “Temos que preservar o MP, que é um importante instrumento de combate à corrupção no Brasil. Além disso o cidadão precisa exercer sua cidadania e buscar o promotor quando for necessário”, aponta.

Molineiro é bacharel pela Faculdade de Direito de Sorocaba e ingressou no MP em 1982, como Promotor de Justiça substituto de Piracicaba, em seguida foi promovido para a Comarca da capital em 1985, e atuou no Grupo Especial de Atendimento ao Público (GAP) por 12 anos, até a promoção atual.

A campanha “O MP é Nosso” do MP pode ser acessada pelo hotsite (www.apmp.com.br/ompenosso), onde estão peças publicitárias e vídeos de cases sobre a atuação do MP junto à população. Um deles mostra uma ação do MP na região de Sorocaba que em 2012 tinha 2,7 mil pacientes psiquiátricos vivendo em manicômios, sob condições desumanas.

Comentários