Tecnologia

Cinco pontos em que a tecnologia está fazendo a diferença durante a pandemia

Nos últimos anos, a transformação digital era vista como inevitável em várias áreas da sociedade. Lojas físicas criando e-commerces, programas de TV aberta indo para o YouTube, universidades com ensino à distância, trabalho remoto, a tecnologia transformando aos poucos o mundo físico em virtual. Mas nesse primeiro semestre de 2020, a transformação foi súbita.

Com o novo coronavírus e a necessidade do isolamento social, a sociedade teve que se reinventar para combater a pandemia e para continuar o trabalho, estudos e lazer, agora remotamente. E além dos desafios durante o isolamento, grande parte das mudanças serão mantidas após a volta à normalidade.

Nesse cenário de mudanças, novos desafios começam a surgir para a essa nova sociedade passando por uma pandemia e conectada apenas remotamente. A tecnologia se mostra como o fator principal para o desenvolvimento de soluções para essa nova realidade, como nos pontos a seguir.

1. Vacinas e tratamentos

Desde o início da disseminação do vírus, universidades e empresas de todo o mundo começaram pesquisas para combatê-lo. Apenas 48h após o primeiro caso confirmado no Brasil, pesquisadores da Universidade de São Paulo conseguiram sequenciar o genoma do vírus utilizando a tecnologia chamada MinION, sendo um marco importante para desenvolvimento de vacinas e medicamentos.

Outro tratamento fundamental é a utilização do respirador, que auxilia pacientes com complicações graves da doença internados em UTIs. Com novas tecnologias de prototipação rápida e eletrônica, como impressoras 3D, é possível construir protótipos do equipamento e peças de reposição em poucos dias.

2. Compartilhamento de informações sobre a pandemia

A disseminação de informações pelos órgãos de saúde é essencial para enfrentar a pandemia. O Ministério da Saúde lançou um aplicativo para auxiliar a população na prevenção e combate ao vírus. É possível responder perguntas para um diagnóstico sobre a doença, conhecer os sintomas e receber notícias e recomendações. É possível acessar o aplicativo pelo site do Ministério.

3. Rastreamento de pessoas infectadas e monitoramento do isolamento social

Em uma parceria entre Google e Apple, as maiores fabricantes de smartphones do mundo, foi desenvolvida uma ferramenta para rastrear o contato de pessoas infectadas com o Covid-19. A partir de softwares nos bilhões de dispositivos Android e iOS, é possível registrar constantemente se outro aparelho está próximo. Assim, é possível mapear a rede de pessoas que esteve em contato recente com um infectado e tomar medidas de isolamento impedindo a propagação.

Também a partir dos dados de smartphones, o governo fez parcerias com operadores de celular para monitorar os usuários quanto à política de isolamento social. A partir da localização GPS do dispositivo, é possível verificar se o usuário se manteve em casa, respeitando a política de isolamento social. Com estes dados, é possível criar a taxa de isolamento social e mensurar a aderência da população à recomendação.

4. Comunicação e Conexão

Sem o contato presencial, as ferramentas de comunicação à distância tiveram um enorme aumento de uso, principalmente para trabalho remoto e educação à distância. Um software de vídeo conferência chegou a alcançar a marca de 200 milhões de usuários diários na pandemia, tendo apenas 10 milhões antes do isolamento. As ações da empresa mais que dobraram de valor desde fevereiro.

O WhatsApp, que relatou um aumento de 40% na sua utilização e já é usado por milhões de brasileiros para trocar mensagens, também está ajudando. Boa parte das empresas e profissionais que tiveram que fechar as portas de seus estabelecimentos por conta da pandemia continuam utilizando o famoso aplicativo para atender seus clientes. Acompanhando este movimento, há aplicativo disponível para facilitar esta busca por profissionais e empresas que atendem por WhatsApp conforme a localização.

5. Entretenimento

Sem festas, shows e jogos de futebol, o entretenimento passou a ser totalmente digital. Bandas e artistas estão alcançando milhões de pessoas com transmissões ao vivo de shows por plataformas de streaming, como o YouTube.

Já as transmissões esportivas foram substituídas pelos esportes eletrônicos, em que atletas competem em vídeo games em times como Flamengo e Santos no jogo League of Legends, por exemplo.

Museus em todo o mundo disponibilizaram visitas virtuais a partir de softwares em que o usuário consegue explorar as obras e atrações pelo computador ou smartphone.

Ainda não se sabe até quando a sociedade estará em isolamento social. Mas pode-se ter a certeza de que a nova realidade será impactada permanentemente

Comentários