Turismo

Pomerode, em Santa Catarina, reúne atributos para atender bem os turistas

Reconhecida por diferentes eventos, a cidade mais alemã do Brasil é bela e acolhedora
Percorrer a Rota dos Imigrantes proporciona uma imersão no jeito de ser dos moradores de Pomerode e suas tradições germânicas. Foto: Renato Soares

Ela é conhecida como a cidade mais alemã do Brasil, recebe milhares de visitantes em períodos como a Festa Pomerana (janeiro), Osterfest (Páscoa) e Weihnachtsfest (Natal), mas os viajantes brasileiros e estrangeiros já descobriram centenas de motivos para conhecer Pomerode em qualquer época do ano. A cidade com 33 mil habitantes no Médio Vale do Itajaí, em Santa Catarina, capricha na hospitalidade, abre as portas com carinho para quem chega e ama apresentar seus costumes e tradições aos visitantes. Vamos conferir?

Rota do Enxaimel é formada por quase 232 construções, onde é possível conhecer de perto o estilo das moradias. Foto: Renato Soares

Rota do Enxaimel – O nome enxaimel é dado à técnica construtiva em que as casas são feitas com uma armação de madeira sem qualquer tipo de pregos, apenas encaixadas, e preenchidas com tijolos. É um modelo trazido da Alemanha colonial e mantido até hoje com incentivos da prefeitura em Pomerode. Com quase 232 construções neste formato, criou-se a Rota do Enxaimel, onde é possível conhecer de perto as residências e conversar com os moradores. Muita gente também tem apostado neste roteiro como treinamento para Santiago de Compostela, por conta da similaridade de clima e percurso com terra de chão batido. Clubes de caça e tiro, riachos e cachoeiras integram o belo percurso.

Rota do Imigrante – Amantes da gastronomia e do jeito simples de viver a vida se encantam com a Rota do Imigrante de Pomerode. Um passeio guiado leva os visitantes a entrar na casa dos moradores, residências antigas, cujas famílias fazem questão de manter o mesmo ritmo dos antepassados. São praticamente museus onde se mantêm moradia. E depois da conversa com os proprietários, hora de experimentar a comida típica. Cucas, pães com ovo e sardinha, geleias, conservas, cerveja artesanal…

Turismo de Aventura – Se há uma cena comum por Pomerode é gente circulando de bicicleta. E não falo só dos moradores não. Todos os anos desembarcam na região uma legião de cicloturistas para conhecer (ou repetir) a rota que passa por cenários verdejantes, estradas de terra, morros, rios e cachoeiras. Contando as cidades vizinhas por onde passa o percurso, são 300 quilômetros de pedaladas, previstos para serem cumpridos em sete dias. Ainda nesta atmosfera aventureira, a cidade mais alemã do Brasil ainda é polo de voo livre.

Natureza exuberante – Para facilmente entender o que encontrar em Pomerode, basta imaginar um verde vale, com muita Mata Atlântica, riachos límpidos e animais silvestres. Algumas espécies da flora são de encher os nativos de orgulho, como uma figueira de mais de 250 anos, um verdadeiro tesouro nacional enraizado no Bairro Ribeirão Souto. São 30 metros de altura, equivalente a um prédio de oito andares, e um tronco que para abraçar são necessárias mais de 20 pessoas. O lugar onde está a gigantesca árvore possui uma rica biodiversidade no entorno. São mais de 30 espécies como bromélias, orquídeas, barba de velho, samambaias, além de pequenos mamíferos e aves que sobrevivem graças à figueira bicentenária.

Rota dos Museus – São seis diferentes museus, deixando firme na memória o dia a dia da comunidade desde o seu surgimento. São espaços que celebram a própria história, os imigrantes, os marceneiros (que deram força ao crescimento), a porcelana (especialidade da região e que também fomenta a economia atual), a escultura e a cultura local.

Grupos folclóricos fazem apresentações durante os diversos eventos realizados na cidade. Foto: Renato Soares

Rota das Raízes Germânicas – Oferece aos visitantes a experiência cultural do bem viver em comunidade, herança dos primeiros colonizadores e empreendedores que se estabeleceram na localidade de Pomerode Fundos. O visitante se emociona com a força trazida pelos antepassados, mantida até hoje, e conhece como vivem os descendentes que optaram por preservar este patrimônio histórico. Pelo caminho, pontos turísticos como o Morro da Turquia e seus 586 metros de altura, o Restaurante Rancho Verde e até a fábrica de Velas Guenther. Tem ainda o Vale das Tilápias e a Casa do Imigrante Carl Weege.

Rota da Colonização – Um charmoso passeio pela história dos empreendedores que colonizaram Pomerode em diferentes momentos da história. No caminho podem ser adquiridos artigos têxteis, cristais e produtos artesanais. Vale também uma visita até o Morro Azul, que possui 764 metros de altitude e proporciona a vista panorâmica de praticamente toda Pomerode, Timbó, Blumenau, Indaial e quando o clima favorece, é possível ver o Oceano Atlântico na região de Barra Velha, Litoral Norte catarinense. O alto do morro é um dos melhores locais do Sul o Brasil para a prática de asa-delta e parapente. (Da Redação)

Osterfest (Páscoa) é uma das festas mais concorridas de Pomerode e envolve toda a cidade nas comemorações. Foto: Renato Soares

 

Comentários