Turismo

Pelos trilhos, na Serra do Mar

A viagem ferroviária de Curitiba a Morretes encanta pela exuberância da paisagem e prédios históricos
A luxuosa Litorina, automotriz que faz a rota de quase quatro horas entre a capital paranaense e Morretes. Foto: Marcel Scinocca

São 70 quilômetros trilhado em meio a belezas naturais, charme e história. O trajeto por uma das mais antigas ferrovias do Brasil é um dos passeios preferidos dos turistas no Paraná. Partimos de Curitiba, da Estação Rodoferroviária da cidade, rumo a Morretes, com a Litorina, automotriz de luxo que opera naquela rota. O passeio da Serra do Mar tem quase quatro horas de duração e pode ser feito também no sentido contrário, ou seja, de Morretes para Curitiba, sempre via ferrovia Paranaguá-Curitiba.

Pelo caminho, rios, cachoeiras, construções antigas — algumas em ruínas — que contam parte da história da ferrovia, uma usina hidrelétrica, represas, turistas fazendo trilhas, pequenos vilarejos, e, é claro, muita Mata Atlântica, formando paisagens exuberantes. De quebra, uma viagem pelos trilhos da história.

Morretes reúne beleza, história e gastronomia, com destaque para o delicioso barreado. Foto: Marcel Scinocca

Seguindo o roteiro, ao lado de morros, onde a neblina mais parece nuvem, enormes e imponentes paredões de pedras, incluindo o Canyon do Ipiranga, compõem a paisagem. No meio do passeio, uma parada no Santuário de Nossa Senhora do Cadeado, dentro do Parque Estadual Pico do Morumbi. Antes de descer a serra, rumo a Morretes, mais túneis — são 13 no total do percurso.

Passar pela ponte São João, a maior do roteiro, é um misto de beleza, pela natureza presente; de ousadia, já que a construção é datada no século 19, e de coragem — afinal, são mais de 110 metros de extensão e até 70 metros de altura. A automotriz* parece flutuar no vazio.

Ponte São João é a mais alta e mais extensa do percurso de 70 quilômetros. Foto: Marcel Scinocca

Morretes

Nosso ponto final é em Morretes. A cidade de pouco mais de 16 mil habitantes reúne beleza, história e gastronomia. À mesa, o barreado, prato típico do litoral paranaense, criado há cerca de 300 anos. A atração maior da culinária de Morretes tem como ingrediente principal a carne bovina. Como o tempo de cozimento é um dos fatores principais para o sabor do prato, há quem cozinhe a carne por 24 horas, mantendo a tradição de três centenários.

Na cidade, além de outras atrações, há uma feira com produtos típicos, muitos deles tendo a banana como matéria-prima. Além de diversos restaurantes, um deles com um deck construído parcialmente sobre o rio que corta a cidade, há também cachaçarias, algumas com cachaças premiadas nacionalmente. Para completar o passeio, uma visita a Antonina. A pequena e simpática cidade histórica paranaense tem muito a nos contar. Na arquitetura, por exemplo, está a casa onde se hospedou Dom Pedro II.

Os trens entre Curitiba e Morretes, ou vice-versa, partem diariamente neste período de férias. É recomendável fazer a compra de forma antecipada e chegar ao local de embarque com uma hora de antecedência.

Vista de Antonina, onde fica a casa na qual se hospedou Dom Pedro II. Foto: Marcel Scinocca

As automotrizes

Em se tratando de luxo, são três opções de automotrizes para o passeio, todas com ar condicionado, e cada uma com seu estilo, o seu design. A primeira é a Foz do Iguaçu, que segue o estilo neoclássico e é inspirada na fauna e na flora da Mata Atlântica. O teto, por exemplo, é pintado a mão por Ana Valente. A segunda é a Curitiba, que conta com uma decoração mais moderna, com símbolos que fazem referência à capital paranaense, como o pinhão e a erva-mate, Nosso embarque é na Copacabana, uma homenagem ao Rio de Janeiro. Ela também é neoclássica e resgata elementos que remetem ao calçadão da Cidade Maravilhosa.

Há também a opção com preços mais módicos, no trem convencional de turismo. A imponente beleza da trajetória, evidentemente, permanece inalterada. Para curtir melhor a viagem, com mais paisagens, a dica é sentar no lado esquerdo do trem, para quem segue de Curitiba para Morretes, ou no lado direito, caso o destino seja o contrário. Para mais informações, incluindo preços e calendários dos passeios, basta acessar o site da concessionária no endereço www.serraverdeexpress.com.br.

*O repórter viajou a convite do Instituto Municipal de Turismo de Curitiba (IMT), Curitiba Convention Bureau e BWT Operadora

Comentários

CLASSICRUZEIRO