Turismo

Parque Nacional da Serra do Divisor, no Acre, será sinalizado para visitação turística

Destino de natureza e aventura no extremo oeste do Brasil, parque é uma das áreas de maior biodiversidade da Amazônia
Sol se põe e ilumina a cadeia de montanhas da Serra do Divisor. Foto: Diego Gurgel / Setur-AC

As trilhas do Parque Nacional da Serra do Divisor, no Acre, vão ganhar sinalização para facilitar o acesso dos turistas a trilhas, cachoeiras, mirantes e outros atrativos. O objetivo da ação é atrair mais visitantes para a unidade de conservação, cuja gestão está sob responsabilidade do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio). A cadeia de montanhas da Serra do Divisor forma o marco divisório das bacias dos rios Ucayali (Peru) e Juruá (Brasil), um dos principais afluentes do rio Amazonas.

Leia mais  Parque Nacional das Emas: aventura e ecoturismo no coração do Brasil

 

A medida também deve incentivar a geração de emprego e renda na região, segundo a secretária de Empreendedorismo e Turismo do Acre, Eliane Sinhasique. “É muito importante para quem se dedica ao turismo de base comunitária na unidade de conservação e precisa de infraestrutura de apoio à visitação para receber bem os turistas”, avalia. Cerca de 20 famílias da região já se dedicam à atividade turística: elas oferecem hospedagem, alimentação, além de serviços de condutores, carregadores e barqueiros, entre outros pequenos negócios, como o artesanato.

O empreendedor Miro Magalhães, proprietário de uma pousada com 14 quartos, ampliou a própria residência para atender a demanda dos turistas pelos atrativos locais de natureza e aventura. Ele também oferece todas as refeições aos hóspedes. O cardápio é baseado na culinária regional.

O passeio de barco é um dos atrativos do local. Foto: Alexandre Noronha / Secom / Governo do Acre

Perfil do visitante

Turistas brasileiros, da França, Bélgica e Canadá estão entre os que mais visitam o parque para atividades científicas, turismo de observação da fauna e flora e vivência na floresta, além dos sítios paleontológicos localizados no rio Juruá e seus afluentes. O parque é considerado um dos locais de maior biodiversidade da Amazônia brasileira devido à transição das terras baixas da Amazônia e montanhas dos Andes com regiões alagadas, igapós, igarapés e lagos fluviais. O rio Moa é uma das principais atrações do parque com muitas cachoeiras, corredeiras e piscinas de água natural.

O secretário nacional de Estruturação do Turismo do Ministério do Turismo, Robson Napier, afirma que a ampliação da infraestrutura do parque para visitação deve incrementar o turismo local. “É um incentivo fundamental para o turismo doméstico e o internacional. Somos o destino número um do mundo em atrativos naturais, precisamos capitalizar esses atributos para vender melhor o Brasil”, afirma.

Para chegar à Cachoeira Formosa é necessário fazer uma trilha de 30 quilômetros. Foto: Alexandre Noronha / Secom / Governo do Acre

Como chegar

Chega-se ao Parque Nacional da Serra do Divisor, de avião, até Cruzeiro do Sul. Por terra, são 700 km a partir da capital, Rio Branco. De Cruzeiro do Sul até Mâncio Lima, a cidade mais ocidental do Brasil, são mais 35 km. O trajeto é feito por terra e dura cerca de meia hora até o porto, onde pega-se um barco para o parque. A viagem pelo rio Moa dura entre 8 e 12 horas, dependendo do tipo de embarcação. (Geraldo Gurgel – Ministério do Turismo)

 

Comentários