Turismo

Explore o roteiro do queijo e do azeite em Minas Gerais

Alagoa, no sul de Minas Gerais, combina a produção artesanal com as belezas naturais da Mantiqueira
Explore o roteiro do queijo e do azeite
Passeio inclui paisagens deslumbrantes, fazendas com os maiores cultivos de azeitonas do hemisfério sul. Crédito da foto: Divulgação / Ministério do Turismo

Imagine uma rota que leve o turista à fazenda que produz o melhor azeite do hemisfério sul e, também, à queijaria onde é feito um dos queijos mais saborosos do mundo. Pois esse roteiro existe e fica no Brasil. A cidade de Alagoa (MG) — a 413 km por rodovia — oferece, há quatro anos, a Rota do Queijo e do Azeite, um dos vários destinos que existem pelo país e atraem cada vez mais o olhar dos turistas.

Leia mais  Itaoca: Um paraíso nos confins de São Paulo

 

O turismo gastronômico, por sinal, é um dos principais atrativos para os visitantes estrangeiros que vão conhecer Minas Gerais. De acordo com a Demanda Turística Internacional, estudo realizado pelo Ministério do Turismo (MTur), 97,3% dos turistas internacionais aprovaram a gastronomia mineira em 2018.

A Rota do Queijo e do Azeite inclui visita aos olivais da Fazenda Cauré, onde é produzido o “Melhor Azeite do Hemisfério Sul”, de acordo com prêmio recebido na Expo Oliva, na Espanha, em maio de 2019. O roteiro também leva os turistas para conhecer a Fazenda 2M que coleciona conquistas: medalha de ouro no Mundial do Queijo no Brasil 2019; medalha de prata 2019 no Mondial du Fromage na França; e Super Ouro no 3º Prêmio Queijos Brasil, como o melhor queijo artesanal de leite cru do Brasil.

Vocação gastronômica

O Estado de Minas Gerais possui grande tradição em rotas turísticas que envolvem gastronomia. Em 2018, um projeto do Estado foi um dos vencedores do 1º Prêmio Nacional do Turismo, organizado em 2018 pelo MTur e o Conselho Nacional de Turismo. A Rota do Queijo Terroir Vertentes, que trabalha o desenvolvimento dos 23 municípios integrantes do Circuito Turístico Trilha dos Inconfidentes e Terroir Vertentes, levou o segundo lugar na categoria Turismo de Base Comunitária e Produção Associada ao Turismo.

A iniciativa premiada estimula a oferta de roteiros gastronômicos envolvendo pequenos produtores de queijo minas artesanal, de queijos finos e de queijo Reino, assim como de fomentar e valorizar a fabricação dos produtos em cidades do circuito. Além disso, o modo artesanal de fazer queijo minas nas regiões do Serro e das Serras da Canastra e do Salitre recebeu o título de Patrimônio Imaterial do Brasil (Iphan).

Atrativos para a família inteira

O município de Alagoa fica no topo do Circuito das Terras Altas da Mantiqueira, entre Aiuruoca e Itamonte. Suas áreas mais baixas ficam acima de 1.132 metros do nível do mar, o que faz do território o mais alto do sul de Minas Gerais.

Para complementar as credenciais turísticas da Alagoa mineira, vale destacar que a localidade também integra a icônica Estrada Real e está inserida na Área de Proteção Ambiental (APA) Parque Estadual Serra do Papagaio.

A combinação de todas essas características faz da região uma Reserva da Biosfera reconhecida oficialmente pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco).

Explore o roteiro do queijo e do azeite
Cachoeiras, montanhas e o melhor queijo artesanal de leite cru do Brasil. Crédito da foto: Divulgação / Ministério do Turismo

Quem busca aventura tem muito o que fazer em Alagoa. Seu entorno é caracterizado por muito verde e ar puro. Dentre as principais atrações, estão cachoeiras, corredeiras e montanhas. O ponto mais alto é o Pico do Garrafão — também conhecido como Santo Agostinho –, com 2.359 metros. Desse mirante, com tempo bom, é possível admirar quilômetros e quilômetros de paisagens de tirar o fôlego.

Como os pontos turísticos são relativamente próximos, um fim de semana polongado é suficiente para conhecer várias cachoeiras. As de acessos mais fáceis são as do Zé Pena, Borboletas, Quilombo, Itacolomy, Funil, Facão e Paiolinho.

Por conta do relevo típico de planalto, a região também possuí inúmeras corredeiras. O visitante não pode deixar de visitar, pelo menos, a da Itaoca. Outros locais imperdíveis em Alagoa são o Pico do Rio Acima, a Pedra do Morro e a Pedra da Campina.

Mesmo que o clima ameno da região não seja convidativo para mergulhos nos períodos mais frios do ano, vale a pena o passeio para contemplar as correntezas e quedas d’água e ouvir o deslizar das águas límpidas.

Caso o visitante deseje estender o passeio, o município oferece pousadas e restaurantes de aconchegantes a preços convidativos. (Da Redação, com informações do Ministério do Turismo)

Comentários

CLASSICRUZEIRO