Turismo

Embratur promove ações no Peru e Bolívia com novo modelo de turismo brasileiro

Novo modelo de representação do Brasil no exterior mira avanço em voos internacionais
Embratur promove ações no Peru e Bolívia
Cusco, no Peru, está na rota dos brasileiros, mas a Embratur quer reforçar a visita de peruanos no Brasil. Crédito da foto: Divulgação / Embratur

O Instituto Brasileiro de Turismo (Embratur) deflagrou em Lima, no Peru, o novo modelo de representação do turismo brasileiro no exterior. A nova prática consiste em utilizar o corpo técnico do instituto para aprofundar ações de mercado e compartilhar inteligência comercial com seus mais de 23 mil parceiros internacionais, entre operadores turísticos, companhias aéreas e agências de viagens. Além do Peru, a presidente da Embratur, Teté Bezerra, visitou as cidades de La Paz e Santa Cruz de La Sierra, na Bolívia.

“Nessa primeira reunião já definimos que teremos grupos de trabalho envolvendo servidores da Embratur e PromPerú (responsável pela promoção turística do país). O objetivo é a melhoria do fluxo de turistas entre os dois países”, informou a presidente, Teté Bezerra, ao reunir-se, na sede da agência peruana de turismo, com a diretora, Maria Soledad Acosta Torrely.

Leia mais  Atacama: Um deserto diferente de todos os outros

As aéreas parceiras

Três companhias aéreas (Avianca, Latam e Copa Airlines) fazem a ligação Peru-Brasil em quatro aeroportos: Rio de Janeiro, São Paulo, Porto Alegre e Brasília. Consolidar esses destinos e abrir novas possibilidades de conectividade aérea estão entre as metas dos grupos de trabalho a serem criados. Reuniões para discutir a melhoria e o aumento dos voos entre os dois países já foram realizadas na Embaixada do Brasil em Lima com representantes das companhias que operam entre os países.

Segundo a coordenadora da Embratur, Leila Holsbach, essa abordagem de promoção do Brasil no exterior faz parte do novo modelo implementado, onde o corpo técnico do Instituto assume diretamente os contatos com os mercados emissores de turistas.

Nas avaliações que a Embratur vem realizando para mapear ações de trabalho, o desenvolvimento de uma malha aérea que ofereça preços melhores e mais ofertas de voos aparecem entre os itens importantes para o aumento do fluxo de turistas estrangeiros no Brasil. O assunto foi abordado também no mês passado durante a WTM London, uma das maiores feiras de turismo da Europa, realizada em Londres, na Inglaterra. Na oportunidade, o Instituto discutiu meios para o aumento da conectividade com as companhias aéreas da Europa.

Leia mais  No coração do Parque Nacional da Chapada Diamantina

A meta é garantir que o Brasil entre de vez na rota das aéreas de baixo custo. Os avanços recentes conquistados com a Norwegian, terceira maior da Europa, que já começou a vender passagens de baixo custo para o país, mostram que isso é possível. As conversas com as companhias aéreas, que majoritariamente atendem o mercado latino-americano, seguem essa mesma lógica. (Da Redação)

Comentários

CLASSICRUZEIRO