fbpx
Turismo

Cotação do dólar muda planos de viagem de turistas

Com o avanço do dólar, as atrações turísticas dos Estados Unidos pesaram mais no bolso de quem ganha em reais
Cotação do dólar muda planos de viagem de turistas
Os parques da Disney, em Orlando, são muito procurados pelos turistas brasileiros. Crédito da foto: Pxhere (5/3/2017)

Para além do mundo dos negócios, a valorização da moeda americana também é motivo de preocupação de quem tem viagem marcada para o exterior. Enquanto o dólar comercial, utilizado em operações como importações e exportações, fechou sexta-feira (20) em R$ 4,14, o dólar turismo, cotação praticada na venda de papel moeda para viagens internacionais, bateu em R$ 4,38. No mês, a alta acumulada é de 2,54%.

A advogada Rosana Matos ainda não comprou dólares para a viagem que fará para Orlando, nos Estados Unidos, em meados de outubro. “A gente esperou, para ver se haveria alguma baixa com o avanço na reforma da Previdência. Estamos esperando que ainda aconteça alguma coisa”, explica.

O plano da advogada é ir a três parques da Disney, mas ela admite que se o dólar não recuar, os passeios podem ser cortados: “A prioridade é fazer o enxoval da minha cunhada.”

Espera de baixa

A estudante That Loranny Lima também adiou a compra de dólares à espera de uma baixa. “Comprei agora assustada, porque um tempo atrás eu já tinha o dinheiro disponível e o dólar estava R$ 3,74, mas decidi esperar. Foi a maior besteira que eu fiz”, desabafa.

That viaja para Orlando, na Flórida, no próximo dia 26, e já refez sua programação. Ela visitaria quatro parques da Disney e um do Universal Studios, com valor total dos ingressos estimado em R$ 2.800. Agora, o roteiro foi reduzido a três parques, que vão custar mais de R$ 2.900.

Mudança de planos

Os planos de compra também mudaram. “A gente estava se programando para trazer muita coisa, como eletrônicos e perfumaria, mas não está compensando mais”, afirma That. O grupo esperou para reservar o aluguel do carro e, com isso, amargou R$ 300 de prejuízo.

That passou a manhã de sexta-feira (20) procurando as melhores cotações. “Tenho amigos que não compraram dólar até hoje, minha mãe também não comprou. A gente está um pouco desesperado”, afirma. O melhor preço encontrado por That foi de R$ 4,35, no banco em que é correntista. Nas casas de câmbio, a cotação chegou a R$ 4,38.

Com o avanço do dólar, as atrações turísticas dos Estados Unidos pesaram mais no bolso de quem ganha em reais. Em uma agência de turismo da zona norte de São Paulo, a entrada do Museu de Arte Moderna de Nova York (MoMA), que custa US$ 32, passou de R$ 112 para R$ 120 entre o último dia 10 e sexta-feira (20).

Cotação do dólar muda planos de viagem de turistas
Musical “Rei Leão”, na Broadway. Crédito da foto: Reprodução / www.lionking.com

O ingresso do musical “Rei Leão” na Broadway, vendido a U$ 311, saltou de R$ 990 para R$ 1.150. Apesar da alta, a agência afirma que ainda não repassou a flutuação do dólar turismo de ontem e que trabalha com uma cotação promocional.

Proteção

A diretora da casa de câmbio GetMoney, Vanessa Blum, afirma que, para evitar as oscilações da moeda, o melhor é se planejar e não esperar um suposto momento de queda. “Uma orientação unânime no mercado é que as pessoas se programem e façam as compras fracionadas, por exemplo um lote de dólares por mês. Quem faz isso não pega o melhor momento do mundo, mas também não pega o pior, fazendo um preço médio”, afirma.

Essa também é a orientação de Mauriciano Cavalcanti, gerente de câmbio da OuroMinas. “O turista não deve especular, apostar que a cotação vai cair. Ele deve aproveitar os momentos de leve baixa para comprar um pouco de dólares. Não precisa comprar tudo de uma vez, é melhor fazer uma média para não ter surpresas”, recomenda. (Ana Luiza de Carvalho – Estadão Conteúdo)

Leia mais  Justiça manda demolir hotel em Cusco por destruir muros incas
Comentários

CLASSICRUZEIRO