Buscar no Cruzeiro

Buscar

Acervo

Brasil ganha 490 voos e paradas gratuitas em São Paulo

12 de Fevereiro de 2019

Brasil ganha 490 voos e paradas gratuitas em São Paulo Aeroporto de Guarulhos registra o maior fluxo de viajantes do Brasil e do Exterior, desembarcados em São Paulo. Crédito da foto: Arquivo JCS

O principal destino emissor do Brasil -- São Paulo -- vai ganhar 490 novos voos para 21 Estados e paradas de até três dias. O anúncio foi feito na semana passada pelo governador de São Paulo, João Dória, pelo secretário Nacional de Desenvolvimento e Competitividade do Turismo do MTur, Aluizer Malab, e por representantes das companhias áreas Latam, Gol, Azul e Avianca. Essas são as contrapartidas do mercado para garantir a redução da alíquota do ICMS sobre o combustível da aviação (QAV) de 25% para 12% no Estado que, segundo a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), concentra 44% do mercado de aviação civil do Brasil.

[irp posts="72988" ]

 

Pelo estudo apresentado pelo secretário de Turismo do Estado de SP e ex-ministro do Turismo, Vinicius Lummertz, se 2,5% dos passageiros que passam pelos três aeroportos de São Paulo estenderem a conexão, um total de R$ 6,9 bilhões serão injetados na economia do Estado e 59 mil empregos serão criados.

Modelo internacional

A medida segue o modelo já testado em outros destinos como Lisboa, em Portugal, com a TAP; Istanbul, na Turquia, com a Turkish Airlines; e Dubai, nos Emirados Árabes, com a Emirates. Os novos voos e stopover estarão funcionando plenamente em até 180 dias.

“Essa é uma grande vitória para o turismo nacional. Num país de dimensões continentais como o nosso, a conectividade pela malha aérea é fundamental”, comentou o ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio. “O próximo passo é aprovar a abertura total das companhias aéreas ao capital estrangeiro no Congresso Nacional para permitir o aumento da competitividade com mais empresas atuando no país”, completou.

Empresas especializadas em passagens de baixo custo já manifestaram interesse em voar para o Brasil e destinos internacionais. A abertura do mercado vai permitir que elas operem também destinos domésticos caso abram uma filial em território nacional. Tanto a redução do imposto sobre o QAV quanto a aprovação da MP que estabelece o fim do limite à participação do capital estrangeiro em empresas aéreas brasileiras estão no Plano de 100 dias apresentado pelo Ministério do Turismo à Casa Civil. (Da Redação, com informações do Ministério do Turismo)