Suplementos Turismo

Que tal passear com a família ‘sem sair’ do isolamento?

Trailer e motorhome são consideradas opções mais seguras para viajar durante a pandemia
Que tal passear com a família ‘sem sair’ do isolamento?
Veículos especiais estão se tornando opções para os turistas que querem evitar aglomerações e compartilhamentos, situações comuns na maioria das viagens. Crédito da foto: Divulgação

O pátio de uma empresa especializada na locação de motorhomes localizada em Salto, na Região Metropolitana de Sorocaba (RMS), está quase sempre vazio.

A loja possui dez veículos, mas, com exceção de dois modelos em manutenção, não havia nenhuma unidade disponível para aluguel na semana passada.

Além disso, todas já estão comprometidas até as férias de verão. A pandemia causada pelo novo coronavírus aumentou a busca por deslocamentos por terra e visitas a locais próximos da natureza e longe de aglomerações.

Nessa tendência, muitas famílias trocaram o turismo convencional (caso de viagens de avião e hospedagem em hotel) pelo chamado passeio independente. Com isso, a demanda por trailer e motorhome cresceu.

De acordo com uma funcionária da loja saltense, Aline Frediani, atualmente é necessário fazer a reserva com quatro meses de antecedência.

Ela informa que antes da pandemia o maior movimento se concentrava em férias e feriados prolongados. Agora, Aline afirma que o aumento foi de 70%. E inclui períodos em que normalmente os veículos não eram alugados.

Pacotes internacionais

A locadora de motorhomes de Salto oferece várias opções, incluindo a possibilidade de fazer roteiros pelos países do Mercosul e Chile. Nesse caso, a locação por 14 dias custa R$ 11.896.

Leia mais  Anne é dócil e brincalhona

Esse preço é para o modelo para dois adultos e duas crianças, e inclui franquia de 4.500 km e os seguros exigidos pelos países, além de equipamentos obrigatórios.

É o caso, por exemplo, de colete de segurança refletivo, que deve ser utilizado se o motorista precisar sair do carro em um acostamento, por exemplo. Já um roteiro de sete dias pelo Brasil custa R$ 5.478, com franquia de 2.500 km.

Para dirigir a maioria dos motorhomes, basta ter CNH da categoria “B”, a mesma exigida para carros de passeio. A habilitação profissional só é necessária para veículos com mais de 6 toneladas de peso bruto total (PBT), ou com capacidade superior a oito passageiros.

Na empresa de Salto, a única exigência é que o motorista tenha no mínimo cinco anos de habilitação. A tarifa de pedágio também é a mesma dos carros, desde que não haja eixo duplo atrás.

Leia mais  Surgem opções de turismo para os destinos nacionais

Antes de sair com o motorhome da empresa, o cliente deve assistir um vídeo explicativo com duração de cerca de 20 minutos que mostra o funcionamento de cada um dos modelos disponíveis.

Segundo Aline Frediani, por meio do vídeo o usuário aprende a conectar a mangueira de captação de água limpa e a de descarga de águas servidas. Ela informa que campings e estacionamentos de postos de beira de estrada têm locais definidos para essa finalidade.

De acordo com Aline, em média o reservatório de água limpa tem capacidade para três dias, “se usada com consciência”. Já o de “detritos” (águas servidas, da pia e do banheiro) dura até cinco dias. Neste último, é adicionado um produto químico, para eliminar o mau cheiro.

Em Salto, a locação pode ser paga em até dez vezes sem acréscimo no cartão de crédito. À vista, a empresa oferece 5% de desconto. Assim como ocorre em empresas de aluguel de carros, há o pagamento de caução de R$ 4.500.

Leia mais  Agronegócio: linhas de investimentos do BNDES, safra e PIB

Esse valor fica bloqueado no cartão de crédito para cobrir eventuais despesas com danos aos equipamentos do veículo, como quebra de torneiras, fogão e geladeira, por exemplo. (Da Redação, com informações da Agência Estado)

Comentários