Mix

O que desejam as mulheres 50+

Pesquisa aponta as tendências para a indústria de moda e beleza focada no público feminino com mais de 50 anos
O que desejam as mulheres 50+
Mulheres maduras são as protagonistas da Economia da Longevidade. São elas que estão liderando o orgulho prateado. Crédito da foto: Divulgação

Envelhecer é uma novidade. Por mais que a frase pareça uma contradição, o ser humano está vivendo mais. Como resultado da conquista da longevidade, há desafios socioeconômicos nunca enfrentados e que demandam mudanças de paradigmas sobre a idade. Para sobreviver nesse futuro prateado, as marcas precisam operar uma mudança de mindset – até então orientada por uma obsessão pela beleza juvenil – para enxergar o enorme potencial da Economia da Longevidade.

São os consumidores com mais de 50 anos que vão ensinar aos gestores de marcas sobre os hábitos, desejos e o mercado emergente que está se formando para uma população cada vez mais longeva. Para entender os drivers de consumo desse novo mundo e apontar as tendências para os mercados de beleza, moda e bem-estar, a Dezon, Hype60+ e Tsunami60+ conduziram a pesquisa Wellness & Beleza Prateada, que foi divulgada no domingo, 8 de março, na Unibes Cultural.

O Brasil conta com mais de 30 milhões de pessoas com mais de 60 anos: 54 milhões, se considerarmos os 50+, de acordo com projeções do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). As mulheres maduras já representam 13,7% da população, ultrapassando os 29 milhões de pessoas.

Namoram on-line e têm vida sexual ativa; trabalham; são ativistas de causas modernas; continuam curtindo rock e buscando aprimoramento intelectual e profissional. “A definição de idoso está muito velha”, analisa Layla Vallias, cofundadora da Hype60+ e uma das coordenadoras da pesquisa, acrescentando que um dos erros mais comuns é considerar os idosos uma massa de consumidores com desejos e necessidades iguais.

Leia mais  Sem esporte ao vivo, TVs pagas fazem sucesso com reprises durante quarentena

“Além das diferenças etárias, quando pensamos nas mulheres maduras, vemos que elas são as protagonistas dessa Economia da Longevidade; são elas que estão liderando o orgulho prateado”, afirma.

Para Bete Marin, cofundadora da Hype60+ e idealizadora do movimento Beleza Pura, embora as mulheres maduras representem um volume gigante da população e sejam as protagonistas da Revolução da Maturidade elas são ignoradas pelas marcas. As mulheres maduras ainda são invisíveis na publicidade.

Principais conclusões

Hoje, a população de brasileiros com mais de 60 anos cresce 3% ao ano, ou seja, um crescimento maior que qualquer outro grupo, em especial, de jovens. As estimativas mais conservadoras apontam que os maduros vão representar 25% da população mundial até 2040, formando contingente de 2,1 bilhões de pessoas no mundo. Esse Tsunami Prateado no Brasil, um grupo de 30 milhões continua a ser ignorado por marcas e empresas.

Embora as relações amorosas sejam importantes e desejadas em qualquer idade, na maturidade elas se tornam mais relevantes. Muitos brasileiros chegam à maturidade com verdadeiros companheiros de jornada; a perda de parceiros, então, é uma preocupação para os que estão casados. Para quem já vivenciou a perda, encontrar um novo parceiro torna-se essencial para dar um “brilho” aos dias. A pesquisa Tsunami60+ revela: 68% dos entrevistados estão em um relacionamento; 76% dos mais de 1.700 maduros ouvidos pelo estudo declararam estar satisfeitos com a vida afetiva atual; entre os com mais de 75 anos, esse índice sobe para 86%.

Leia mais  Faixa de pedestres de disco dos Beatles é repintada durante quarentena
O que desejam as mulheres 50+
De acordo com a pesquisa, as mulheres com 50+ sentem orgulho da sua idade e trajetória. Crédito da foto: Divulgação

As mulheres maduras apontam a invisibilidade como principal desafio, sobretudo porque as marcas têm falhado em não conhecerem os gostos, corpos e estilo de vida. A palavra “exclusão” define o sentimento de ser ignorado pelas marcas. Quatro entre 10 maduros com mais de 55 anos declararam que não há produtos e serviços para consumidores com a idade deles, sendo as mulheres as que mais reclamaram do fenômeno: 43% delas contra 20% deles. Eles querem unir a estética contemporânea e atrativa ao conforto e usabilidade, levando em consideração as demandas específicas dos corpos com mais de 60 anos. No subtexto, romper com o estereótipo das cores neutras, da linguagem pastel e sem vida.

A nova geração de mulheres brasileiras 50+ é formada por baby boomers nascidas entre 1945 e 1964 e têm, hoje, entre 54 e 73 anos. Agentes de grandes transformações econômicas e sociais no mundo, as maduras são ativas, ganham mais do que a média da população e gastam mais com elas mesmas; 83% acham a beleza importante; 80% consomem cosméticos; e 90% não se sentem representadas na comunicação das marcas de cosméticos. Segundo Bete Marin, essas mulheres sentem orgulho da sua idade e trajetória.

No Brasil, oito em cada 10 maduros têm renda própria e não vivem somente da aposentadoria. Entre as mulheres, esse número sobre para nove.

Leia mais  8 pratos que você não imaginava que possuem opções veganas

Quebrar tabus

Outra conclusão da pesquisa é que deve-se trocar a seriedade com a qual é pintada a velhice pela noção de alegria; pelo lúdico capaz de subverter a falsa noção de que idoso prefere bege. O Wellness Educativo aponta para plataformas de comunicação que tragam conteúdos para além das marcas e produtos; que abordem, por exemplo, bem-estar e estilo de vida. New Age, Better Age aborda a importância de produtos baseados em saberes milenares que essa geração aprecia desde o surgimento do movimento alternativo na sua juventude. A oitava tendência, De dentro pra fora, traz insights sobre produtos alimentos e bebidas que promovem saúde e bem-estar, tais como suplementos alimentares e balas de colágeno.

Em Beleza Prateada, o foco recai para os cabelos. A moda do branco ou prateado está nas cabeças das maduras e também das jovens mulheres. Em Femcare, o foco direto é a saúde, abordando questões como menopausa e incontinência urinária, que atinge uma entre quatro mulheres 40+. A última tendência, Alta Performance, coloca em primeiro plano o fitness. Essa nova geração de maduros se interessa por esse universo.

Para o cidadão do século 21, envelhecer é um processo completamente diferente do que foi décadas atrás. Essa mudança está inteiramente associada à presença da internet na vida dos novos seniores. A partir do advento da conectividade, eles buscam conhecimento no YouTube; diversão no Facebook; e relacionamento no Instagram e pelo WhatsApp. (Da Redação)

Comentários