Buscar no Cruzeiro

Buscar

A importância de gostar de si mesmo

17 de Março de 2021 às 00:01

A importância de gostar de si mesmo Crédito da foto: Divulgação

A pessoa com deficiência precisa enfrentar desafios diários até em atividades simples do dia a dia, como utilizar o transporte para ir ao trabalho, por exemplo. Embora muitos enxerguem a PcD como um “super-herói” e “exemplo de superação”, a realidade -- quando sentida na pele -- é bem diferente.

Muitas vivem em busca de autoafirmação e isso passa por uma batalha psicológica de autoconhecimento. Para te ajudar a trilhar esse caminho com mais saúde e equilíbrio, separei um material desenvolvido pela psicóloga Priscila Valério.

Segundo ela: um dos aspectos importantes para cultivar a saúde psicológica se relaciona com o autoconceito que temos de si mesmo. A autoestima é construída a partir do autoconceito que temos sobre quem somos e qual é o nosso valor diante da história que construímos ao longo de nossa vida.

Os sentimentos de competência pessoal e de valor pessoal estão atrelados à nossa autoestima. A soma da autoconfiança com o autoconceito, reflete na construção da nossa autoimagem: quando nos vemos capazes de lidar com os desafios da vida, como a resolução de problemas, por exemplo, tendemos ser mais autoconfiantes e isso ressalta positivamente na própria autoimagem.

Assim, como tendemos a achar que temos o direito de ser feliz, respeitando e defendendo os próprios interesses e necessidades de maneira mais equilibrada e harmônica.

Em uma sociedade caótica e competitiva, a autoestima é alicerce, para impor limites e recusa da pessoa de estar numa relação contrária consigo mesmo.

Autoconceito

É composto pela autoestima (componente avaliativo) e autoimagem (componente descritivo). O modo que nos expressamos traduz a nossa relação com a nossa autoestima. Expressa-se na maneira de falar, gesticular, reportar-se ao outro, expressões faciais, como se move no cenário cotidiano, no trabalho, com o parceiro (a), na família e ambientes que circula, projetam o contentamento que a pessoa sente por estar viva e ser quem é.

Pilares da Autoestima

Atitude de viver conscientemente

Cultivar uma mente ativa, viver no momento presente, com visão do contexto geral; observar se as minhas ações estão em consonância com o que digo e com as minhas intenções, sem destoar do meu arquivo mental e ter consciência dos valores que regem a própria vida, conhecendo suas raízes com uma visão crítica sobre os valores que pautam suas decisões.

Atitude de Autoaceitação

Aceitar-se com os seus defeitos e qualidades, sem negar suas imperfeições, como uma pessoa do mundo real; assumindo sua forma de pensar, o que considera bom ou ruim para si. Assim, a mudança e o crescimento tornam-se mais palpável.

Atitude de Autorresponsabilidade

Ter autorresponsabilidade pelas próprias escolhas, bem como por suas consequências. Ser autorresponsável também implica em pensar que minhas atitudes terão reflexo na vida de todos aqueles que me cercam, não apenas em minha vida; é envolver-se com as escolhas de forma consciente.

Também implica em pensar que as minhas atitudes terão reflexo na vida de todos aqueles que me cercam, não apenas em minha vida. É envolver-se com as escolhas de forma consciente.

Atitude de Viver Intencionalmente

Viver com intencionalidade em direção aos próprios objetivos. Sem culpar ou transferir para o outro seus anseios e dificuldade comuns à complexidade do existir.

Todos temos essa capacidade de exercitar a intencionalidade de maneira autorresponsável.

Atitude de Autoafirmação

Ao contrário do que o senso comum diz, autoafirmar-se positivamente, na esfera psicológica, retrata o quanto uma pessoa possui autoconfiança para ser abertamente quem é, “jogar” no próprio time e respeitar-se como pessoa.

Honrar o compromisso consigo sobre suas vontades, valores, não aceitar menos do que acha que merece, dentro de uma autoavaliação real e não fantasiosa. Ter autoafirmação positiva, propicia uma forma de expressá-la sem afrontar o próximo.

Atitude de Integridade Pessoal

Nossas convicções, crenças, ideias, respeito ao que somos, respeitando ao outro, coerência entre os nossos ideais e práticas, pode-se dizer que temos integridade.

Abra seus olhos para dentro, olhe no espelho

Nosso espelho, nosso melhor amigo, um grande aliado que sinaliza como nos vemos, que imagem estamos refletindo, que pode resultar em reflexão sobre como nos sentimos, como anda a nossa autoestima, o que pensamos sobre nós mesmos.

Às vezes, caímos em autoengano quando olhamos apenas a beleza externa refletida no espelho. Ter autoestima elevada e uma autoimagem que admiremos vai muito além da imagem física refletida no espelho.

Busque olhar o reflexo que vem de dentro. É dentro de si que iniciamos o caminho para a construção da autoestima e autoimagem que gostamos de apreciar.

*Denis Deli , Jornalista e palestrante, especializado na inclusão da pessoa com deficiência.

Apoio publicitário.