Guia Saúde

Dez coisas que você precisa saber sobre a sexualidade na terceira idade

Sexo não é problema na terceira idade. A idade, em si, não impede ninguém de ter relações sexuais frequentes e com qualidade

A sexualidade é essencial para a saúde e o bem estar de indivíduos, casais e famílias. Afinal, quanto maior nível de satisfação na sexualidade, maiores níveis de confiança, de maturidade nos relacionamentos e melhor capacidade de lidar com as emoções. Enfim, sexo faz bem para a saúde mental, mas o tema é ainda envolvido com mitos e tabus, principalmente para os idosos, aqueles que estão na terceira idade.

Em um país majoritariamente jovem, como o Brasil, prevalece a cultura de que o idoso não faz sexo e que a vivência da sexualidade pertence aos mais jovens. É uma visão equivocada. No Brasil, a expectativa média de vida dos brasileiros é de 76 anos, variando de acordo com o sexo. Pelas estatísticas, a mulher sempre vive mais que os homens. Portanto, quanto maior a longevidade, mais possibilidades de uma vida sexual saudável. Conforme informações do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (2019).

Fatos sobre a sexualidade na terceira idade. Crédito da foto: Depositphotos


De acordo com o estudo “Fatores que interferem na sexualidade de idosos” (Departamento de Medicina Social / Centro de Ciências da Saúde  da Universidade Federal de Pernambuco),
ações educativas, desprendidas de mitos e preconceitos,devem envolver idosos e não idosos, pois o envelhecimento é inerente ao ser humano e questões sobre a sexualidade precisam ser discutidas no percurso de todas as etapas da vida”.

Dez fatores importantes

  1. A sexualidade acompanha o ser humano em todas as fases da vida, inclusive na terceira idade. 
  2. A idade, em si, não impede ninguém de ter relações sexuais frequentes e com qualidade.
  3. Os idosos mantêm o interesse sexual e praticam sexo regularmente.
  4. O ato sexual permanece como uma das principais fontes de prazer.
  5. Algumas enfermidades têm impacto na vida sexual na velhice. Os idosos precisam tomar todas as precauções em relação a doenças sexualmente transmissíveis.
  6. Doenças mais graves como a disfunção erétil, problemas coronarianos e alguns tipos de câncer e diabetes (sendo a de Peyronie uma das mais comuns) podem receber tratamento.
  7. Apesar de boas condições biológicas, aspectos psicossociais podem afetar a sexualidade como a solidão, a viuvez e a falta de parceiros. 
  8. Hábitos saudáveis ajudam a sexualidade na terceira idade, como, por exemplo, ter uma alimentação saudável e atividade física regular. Além disso, fazer exames hormonais para detectar hipogonadismo (ausência de quantidades adequadas de hormônios sexuais) e eventual necessidade de reposição hormonal.
  9. O desejo por sexo não diminui com a idade e nem o sexo é menos prazeroso com a idade.
  10. A relação sexual pode se dar com carícias, beijos, com a prática de masturbação e de outras formas, que não sejam necessariamente o coito.

Fontes: Dr. Paulo Egydio, UFPE, Ministério da Saúde, OMS.

Comentários