Buscar no Cruzeiro

Buscar

Saúde

Doença invisível

Julho Verde alerta que sintomas do câncer na região da cabeça e do pescoço são confundidos com gripe

14 de Julho de 2021 às 00:01
Da Redação [email protected]
Instituto acredita que muitos casos podem ser evitados.
Instituto acredita que muitos casos podem ser evitados. (Crédito: TÂNIA REGO / AGÊNCIA BRASIL)

Apesar de serem alvos de poucas reportagens e campanhas, os tumores que atingem a cabeça e o pescoço representam, de acordo com a Organização Mundial da Saúde, o nono tipo de câncer com maior incidência em todo o planeta. Por isso, anualmente, a Associação Brasileira de Câncer de Cabeça e Pescoço (ACBG Brasil), em parceria com a Sociedade Brasileira de Cabeça e Pescoço (SBCCP), promovem o Julho Verde, iniciativa que busca trazer mais visibilidade à doença.

Em 2021, a campanha fixa o slogan “O câncer tá na cara, mas às vezes você não vê”. A mensagem visa conscientizar a população sobre a importância do autocuidado e atenção aos primeiros sinais e sintomas da doença, para possibilitar o diagnóstico precoce e ampliar as taxas de cura.

Uma das dúvidas mais frequentes é saber quais órgãos, exatamente, compõem a cabeça e o pescoço. “A região inclui, além da cabeça, a língua, boca, laringe, faringe, tireoide, seios paranasais, cavidade nasal e glândulas salivares”, esclarece a mastologista Alice Francisco, uma das dirigentes da ONG Maple Tree Cancer Alliance no Brasil. A instituição é uma das apoiadoras do Julho Verde. “De acordo com dados divulgados pela ACBG Brasil, até 2022, cerca de 45 mil pessoas poderão perder parte de suas faces por causa do câncer na cavidade oral. Em média, 22.950 brasileiros correm o risco de perder a voz em consequência de um câncer de laringe.”

HPV e churrasco

O Instituto Nacional de Câncer (Inca) estima que um terço destes tumores poderia ser evitado. “Fatores de risco incluem tabagismo; consumo de bebidas alcoólicas; infecção pelo vírus do papiloma humano (HPV), transmitido principalmente por meio de relações sexuais desprotegidas, e má higiene bucal, entre outros”, conta a doutora Alice. “Ou seja, muitas destas causas são evitáveis.”

Mesmo com a queda no número de fumantes no Brasil, a incidência deste câncer não diminui como se esperava. E a causa foi, justamente, o aumento na quantidade de casos relacionados ao HPV, mesmo em pacientes sem histórico de tabagismo ou etilismo.

Em sua fase inicial, o câncer de cabeça e pescoço é uma doença silenciosa, que pode ser confundida com uma gripe ou faringite. Rouquidão, feridas na boca ou inflamações que, mesmo medicadas, superam mais de duas semanas podem ser indícios.

A mastologista explica que o consumo de carnes vermelhas em grandes quantidades pode gerar a predisposição ao surgimento de tumores na boca ou garganta, sobretudo se essas carnes forem preparadas em churrasqueiras. “Há elementos carcinogênicos no carvão vegetal”, ressalta. No contraponto, incluir frutas cítricas, vegetais verdes, chá verde, açafrão e própolis pode ajudar na prevenção, pois eles contêm antioxidantes. (Da Redação)