Cruzeirinho

Um protesto diferente

Artigo escrito por Vanessa Marconato Negrão
Um protesto diferente
Crédito da foto: Divulgação

Vanessa Marconato Negrão

Protesto: Ato ou efeito de reclamar; queixa, reclamação. Todo mundo já protestou um dia — especialmente as crianças que, ninguém discute, são muito boas nisso. Quem tem criança em casa, já conviveu com uma ou quem simplesmente já foi criança um dia sabe: nem vem tentar tirar o ‘tetê’, pedir para parar de brincar ou negar a sobremesa; o direito da criança de protestar é intransferível, nasce com ela e a acompanha pela vida.

Me lembro de uma boa frase que eu ouvi uma vez de uma criança aborrecida por ter de obedecer a mãe. Indignado, mas conformado, ele perguntou: “Viu, quando a gente deixa de ser filho e também manda, hein?” Eu não me atrevi a responder, mas minha vontade na hora foi dizer: “Xiiiii amiguinho, isso não passa nunca.”

Leia mais  ‘Traffic Jams’ põe você em meio ao caos no trânsito

Enfim, como eu já escrevi ali em cima, todas as pessoas protestam, por algum motivo em algum momento da vida, mas eu lhes confesso: nunca tinha imaginado animais protestando. E me deu medo.

“Os pássaros deixaram de cantar. Os gatos já não miavam. E as vacas recusavam-se a dar leite. Os animais pareciam ter feito um pacto” Já na primeira frase levei um susto porque quem me acorda de manhã são os passarinhos, uma família inteira de pardais! Logo depois eu tomo meu café da manhã, que tem manteiga, feita com o leite de quem? Da vaca! Pronto!

Como diria meu avô, “a natureza é tudo, tudo, tudo!” Não dá para separar, eu, você, as árvores da calçada, os cupins no pasto, as nuvens lá no alto. Cada ser depende do outro, cada vida depende da outra, cada mão sustenta o mundo! “O Protesto”, de Eduarda Lima, é publicado pela Pequena Zahar.

Vanessa Marconato Negrão é professora e apaixonada por literatura infantil.

Comentários