Cruzeirinho

Coluna ‘É o bicho’ desta semana fala sobre o tatu; assista o vídeo

No Zoo de Sorocaba é possível visitar um tatu-de-rabo-mole-grande macho
Tem tatu aqui?
Crédito da foto: Divulgação

Você certamente já ouviu falar no tatu. Um animalzinho curioso, que tem uma carapaça dura e adora viver em tocas no chão das florestas. Muitas pessoas acham que, quando falamos em tatu, estamos nos referindo ao tatu-bola. Mas a verdade é que, no mundo todo, existem 21 tipos de tatu diferentes. Só no Brasil vivem 11 tipos e apenas dois deles conseguem mover sua carapaça para virar uma ‘bola‘.

Por conseguir fazer isso, o tatu-bola foi mascote da Copa do Mundo de Futebol que aconteceu aqui no Brasil, no ano de 2014. Mas ele não vira uma bola para ‘sair rolando por aí‘, mas sim para se defender. As carapaças dos tatus servem como ‘escudos‘, para que eles consigam se proteger dos seus predadores. Os tatus costumam ouvir e farejar muito bem — e usam estes sentidos para encontrar comida. Muitos deles adoram comer insetos (eca!).

O maior tatu que vive no nosso País é o tatu-canastra, que chega a pesar mais de 30 quilos e está ameaçado de extinção. Outro tatu brasileiro é o chamado tatu-galinha. Dizem que ele tem esse nome porque, antigamente, as pessoas caçavam ele para comer e diziam que sua carne tinha gosto de frango. Triste né? De fato, a caça ilegal é uma das principais ameaças para os tatus. Já este tatu que você está vendo na foto é o tatu-de-rabo-mole-grande, conhecido pelos pesquisadores como Cabassous tatouay. Ele também vive no Brasil e, felizmente, não corre risco de extinção. Aqui no Zoo de Sorocaba mora um tatu-de-rabo-mole-grande macho. Ele adora passar o dia dentro de sua toca e costuma sair ao entardecer para comer e se exercitar. Venha visitá-lo!

Quer saber mais sobre os tatus? Escreva para querosaberzoosorocaba@gmail.com ! (Peônia Brito de M. Pereira – bióloga, técnica ambiental responsável pelo setor de Educação Ambiental do Quinzinho de Barros)

Comentários