Buscar no Cruzeiro

Buscar

Acervo

Frango-d’água-comum

28 de Março de 2021

Frango-d’água-comum O frango-d’água costuma interagir bem com a presença dos visitantes. Crédito da foto: José Maurício Bregula / Coaves

Nome popular: Frango-d’água-comum

Nome científico: Gallinula galeata (Lichtenstein, 1818)

Já imaginou um frango flutuando sobre um lago? Na verdade, o frango-d’água não é propriamente um frango, como estamos acostumados. Apesar do nome, não tem nenhum parentesco com frangos ou galinhas. Seu nome está relacionado com a semelhança que ele tem com essas aves.

O frango-d’água é parente das saracuras. Ele vive em lagos com vegetação aquática, como o do Parque das Águas, onde pode ser avistado nadando próximo às margens, sacudindo a cabeça para frente e para trás, ou em brejos (pântanos). Seu corpo é cinza escuro (quase negro) e tem algumas linhas largas e brancas perto da cauda. Sua cabeça possui uma espécie de escudo vermelho-escuro que se estende até o bico, cuja base é amarela (bem visível na ponta). Suas pernas e pés são amarelados, mas, próximo ao corpo, a perna é avermelhada. Tem um canto estridente e alto, como se fosse um “kürrrk” ou “ki-ki”.

Por morar em ambientes aquáticos, o frango-d’água pode se alimentar de capim e brotos da vegetação aquática ou até ir para o solo da margem em busca de alimento, que também pode incluir invertebrados e, às vezes, pequenos vertebrados.

Seu ninho é construído na vegetação, às margens de lagos, no interior do brejo ou em grandes plataformas flutuantes, formadas pela vegetação aquática sobre os corpos d’água (lago, rio e córrego). O ninho pode ter até nove ovos de cor esverdeada com pintas castanhas claras e escuras. A espécie pode levar de 19 a 22 dias para chocar seus ovos e os filhotes permanecem no ninho de um a dois dias.

Faça sua parte

O frango-d’água pode se acostumar com a presença das pessoas quando oferecemos alimentos para ele, como migalhas de pão. O problema é que ele se sente seguro e sai da água para comer o alimento que é jogado no solo da margem ou na superfície da água e, dessa forma, pode ficar exposto a predadores, como gatos, cachorros e até gaviões. Assim, evite oferecer alimentos para que ele não fique desprotegido.

Elaboração: Coaves Kids e Secretaria do Meio Ambiente e Sustentabilidade de Sorocaba (Sema)