Cruzeirinho

Eu, princesa?!

Eu, princesa?!
Crédito da foto: Divulgação

Vanessa Marconato Negrão 

E se as princesas não sonhassem só em viver felizes para sempre ao lado do príncipe encantado? Sempre pensei assim. Tantos sonhos! Tanta vida para viver! Tantas ambições! Para mim, dividir a vida com um amor sem dúvidas era um sonho; mas não era o primeiro, nem o segundo, talvez o terceiro.

Em “Lute como uma princesa”, as princesas carregam suas próprias histórias, planejam o próprio futuro e desejam com afinco tornar seus sonhos em realidade. Nesse livro, cada princesa tem um propósito maior, Cinderela, por exemplo, é uma jovem idealista que luta para ter o seu valor reconhecido. Entre uma audiência e outra com o rei, ela conhece o jovem Prens num baile beneficente. A afinidade dos dois é instantânea e ambos se reconhecem como almas gêmeas. Já a Polegarzinha, nascida de uma flor, é uma aspirante a musicista e seu sonho é levar sua música por todos os cantos do mundo, alegrando as pessoas. Chapeuzinho Vermelho é Felipa, que ao invés de temer os lobos, os protege, recorrendo ao Departamento Ambiental do Reino Encantado para mantê-los seguros e longe de confusão.

Leia mais  Um protesto diferente

Vita Murrow escreveu essas histórias imaginando que as princesas podiam ser qualquer uma de nós: eu, você, sua mãe, sua tia, sua avó. Ela diz o seguinte: “Tenho certeza que as personagens nas histórias das princesas vão fazer você se lembrar de alguém que conhece. Talvez cometam os mesmos erros ou tenham o mesmo triunfo, talvez corram os mesmos riscos. Ou enfrentem desafios parecidos.”

Eu não tenho dúvidas de que o espírito de príncipes e princesas habitam em nós! Depois dessa leitura vai ficar mais fácil de reconhecer. Essa lindeza de livro é ilustrado por Julia Bereciartu e publicado pela Editora Boitatá.

Vanessa Marconato Negrão é professora e apaixonada por literatura infantil.

Comentários