Cruzeirinho

Crianças são curadoras de exposição no Museu de Arte Contemporânea

Missão dos pequenos foi escolher as obras para a mostra
Crianças são curadoras de exposição no Museu de Arte Contemporânea
Otávio, na foto ao lado do irmão, escolheu uma criação de Gui Urban, com luzes e natureza. Crédito da foto: Elson Yabiku / Divulgação

O Museu de Arte Contemporânea de Sorocaba (Macs) ofereceu para as crianças uma oportunidade inédita para a idade: realizar a curadoria de uma exposição! Curadoria é, de forma bem resumida, fazer a escolha de obras de arte para uma mostra, o que exige pensar sobre o que se quer transmitir ao público. Ao todo, dez meninas e meninos, com idades dos 6 aos 12 anos, participaram da experiência. Para eles, a melhor parte foi os adultos deixarem as crianças mostrar o que pensam e do que gostam. Essa exposição tem sido motivo de orgulho para os pequenos e servido de alerta para os adultos, não apenas por revelar do que as crianças são capazes, mas por deixar claro para os grandes elas querem ocupar espaços e estão preparadas para isso.

Otávio Uemura Costa, 11 anos, afirma que já tinha ido ao museu, mas não para trabalhar. “Assim, no sentido de escolher obras. Foi muito boa a experiência, porque a gente vai, escolhe uma obra que gosta, depois é preciso explicar o motivo da escolha”, conta. Essa escolha aconteceu no reserva técnica do museu, que guarda uma porção delas. Otávio optou por uma fotografia de Gui Urban. “O que me chamou a atenção foram as luzes, como os fogos de artifício e o fundo atrás, com muita natureza, parecia um sítio. Sempre gostei bastante de luzes, isso me atrai muito, e a natureza também.”

Crianças são curadoras de exposição no Museu de Arte Contemporânea
Os curadores mirins trabalharam muito, inclusive na montagem da exposição. Crédito da foto: Divulgação

Fazer esse tipo de seleção, para Otávio, não foi complicado. “Achei que desse mais trabalho”, confessa. “Ter sido escolhido para ir até o museu e mostrar que tipo de arte que gosto, o que me chama a atenção, foi uma oportunidade muito grande”, afirma. “Quando fui escolhido, não sabia como isso ia acontecer. Foi muito legal eles terem convidado crianças, porque a mente das crianças tem muita imaginação, criatividade e pode ajudar, sim, a fazer uma boa exposição. Achei legal da parte deles.” Otávio conta que gosta muito de desenhar. Quando era menor, ele desenhava mal, mas depois passou a fazer isso muito bem e os amigos começaram a pedir desenhos pra ele. “Daí fui gostando desse tipo de coisa, por isso gostei muito de ter sido convidado pelo Macs. Eu não chego a esse ponto de ser artista, vejo o que faço mais como um hobby”, diz ele, que pretende ser engenheiro de software — mas não descarta a possibilidade de se tornar um artista.

Leia mais  Educação de Sorocaba abre concurso para 200 vagas em todos os cargos

Cuidado, atenção e responsabilidade na hora da escolha

“Sempre são os mais velhos que fazem as coisas, mas desta vez foram as crianças”, diz Samira Abdalla Campos, 12 anos. Ela confessa que teve um pouco de medo ao ter de escolher as obras, porque precisava ter muito cuidado. “Tivemos de usar luvas para não estragar as obras e não podia tocar. Dá vontade de tocar, mas não pode.”

Crianças são curadoras de exposição no Museu de Arte Contemporânea
Samira Abdalla teve vontade de tocar as obras — mas não pode! Crédito da foto: Arquivo Pessoal

Samira topou participar porque acha muito legal exposição de arte. “É bonito sabe, passa alegria pra gente”, disse ela, que costuma ver exposições no Sesc e também conhece alguns museus. Para ela, não é porque as crianças são menores que não podem organizar exposições; a opinião dos pequenos deveria ser levada em conta. “As crianças têm visão diferente dos adolescentes e dos adultos”, define. “Aliás, acho que tinha de ter uma igualdade entre as pessoas, sem importar a idade”, completa.

Durante sua missão, de procurar uma obra que tivesse algo em comum com a de Ana Ruas, ela ficou encantada por uma, que coincidentemente, é de Laura Mattos. “Escolhi porque mostra uma moça com óculos na cabeça e nessa imagem tem plantas, tem cores chamativas. Foi a que mais gostei”, conta. Samira diz que foi uma honra poder fazer esse trabalho. “Queria agradecer todo mundo que ajudou a gente a saber um pouco sobre arte. Nunca vi algo assim com crianças decidindo. A gente escolheu inclusive os lugares para colocar os quadros.”

Leia mais  Bombeiros apagam incêndio em casa na Vila Carvalho, em Sorocaba
Crianças são curadoras de exposição no Museu de Arte Contemporânea
Pedro Ferreira posou para foto, orgulhoso, ao lado da obra escolhida. Crédito da foto: Arquivo Pessoal

Pedro Fernandes Ferreira, de apenas 6 anos, também quis participar. “Eu achei legal. Desenhei, escolhi uma obra, que mostra uma casa e tem uma mulher com livro na cabeça, não me lembro o nome, mas ela entrou na exposição”, orgulha-se. Na sua opinião, as crianças são muito criativas e conseguem escolher bastante coisa legal.

As irmãs Lara Yasmim Queta Abreu e Lima, 9 anos, e Rafaella Sofia, 7 anos, também curtiram muito a experiência. Rafaella escolheu uma fotografia de Klaus Mitteldorf, que mostra uma mulher e um monte de verde. “Eu gosto de verde. Foi a obra que achei mais bonita. Depois que escolhi, desenhei ela num papel”, conta, sobre o processo. Ela também gostou do lançamento e na oportunidade conversou com muitas pessoas. Já a Lara contou que seu pai costuma pintar quadros e então ela já tem contato com pinturas. Mas, na ocasião, ela disse que aprendeu mais sobre arte. “Comparei obras, conheci novos pintores e vi muitos trabalhos bem bonitos”, afirma. Lara escolheu um quadro com muitas árvores, arbustos, grama e pedra. Ela ainda fez muitas amizades e disse que sonha em ser artista.

Crianças são curadoras de exposição no Museu de Arte Contemporânea
Lara já conhecia arte, mas aprendeu ainda mais com o projeto. Crédito da foto: Arquivo Pessoal

Conheça o resultado de perto

A exposição “Desbravando o Acervo — Curadores Mirins” com a curadoria infantil, tem em sua ficha técnica os nomes dos pequenos curadores. Além disso, os visitantes poderão ouvir os depoimentos das crianças sobre suas impressões por meio de QRCode. As visitas podem ser feitas até 3 de agosto, das 10h às 17h, de terça a sexta e, aos sábados, das 10h às 15h. Na oportunidade, o público também poderá conferir as obras da artista sul-matogrossense Ana Ruas, que estão na Sala II. O Macs fica na Av. Dr. Afonso Vergueiro, 280, ao lado da antiga Estação Ferroviária. A entrada é gratuita. Mais informações pelo telefone (15) 3233-1692.

Eles visitaram a reserva técnica e decidiram entre muitas opções

Crianças são curadoras de exposição no Museu de Arte Contemporânea
Crédito da foto: Divulgação

O projeto do Macs, intitulado “Desbravadores do acervo”, convidou crianças cujos pais já tinham algum tipo de contato com o local, por serem frequentadores assíduos ou colaboradores. Durante um mês, as crianças receberam orientações da arte educadora Laura Mattos.

Leia mais  Lanchonetes são autuadas por furto de energia elétrica

Para os pequenos entenderem o trabalho de uma curadoria, Laura recorreu ao universo da fantasia, a partir de histórias infantis, além de jogos, brincadeiras e muita conversa. Durante o processo, ela lançou um desafio: as obras que as crianças deveriam escolher tinham de estabelecer um diálogo com as da artista Ana Ruas, que iria expor na mesma data.

Para a seleção, as crianças foram até a reserva técnica do museu, onde estão guardadas diversas obras. “Criamos um mistério a respeito do acervo pertencente ao museu, para que as crianças entendessem que teriam de ter um certo cuidado em relação à manipulação das obras”, afirma Laura. Elas receberam noções sobre as questões técnicas e formais do museu. Depois, tiveram de representar em desenho as obras que viram. Também fez parte do processo escrever uma carta para o artista que escolheram e ali deveria constar o motivo pelo qual a obra se relaciona com o trabalho de Ana Ruas.

Crianças são curadoras de exposição no Museu de Arte Contemporânea
Maria Clara achou o trabalho divertido. Crédito da foto: Arquivo Pessoal

Maria Clara de Mattos Anacleto, 12 anos, filha de Laura, também teve oportunidade de participar. “Foi bem legal. A gente aprendeu a ter mais responsabilidade, a gostar das obras… Fizemos um trabalho que adulto faz, mas foi bem divertido! Fiquei feliz em poder fazer isso.”

A obra que ela escolheu foi “Ofélia”, da artista sorocabana Lucia Castanho. “Vi que tinha relação com a obra da Ana Ruas por ter flores e água”, explica.

Como é filha de uma artista plástica, Maria Clara cresceu vendo a mãe pintar, o que a fez admirar arte. “Gosto de arte, acho muito bonito. Já pintei junto com a minha mãe”, diz ela, que tem vontade de ser artista no futuro. (Daniela Jacinto)

Comentários

CLASSICRUZEIRO