fbpx
Cruzeirinho

Aprender a ler e a escrever é muito bom!

Milhões de pessoas no mundo não têm essa oportunidade e governantes querem que isso mude até 2024
Aprender a ler e a escrever é muito bom!
Lá no CEI-7 os alunos estão super felizes por conseguir fazer suas primeiras letras. Crédito da foto: Emidio Marques

Se você está lendo essa reportagem, pode ficar feliz. Sabia que no Brasil 11,3 milhões de pessoas acima dos 15 anos de idade são analfabetas, ou seja, não sabem ler e nem escrever? Muita gente, né? Deve ser bem difícil olhar para as placas das ruas, os nomes dos ônibus, os livros, e não conseguir entender o que está escrito. No mundo todo, estima-se que 800 milhões de adultos vivam a situação. O objetivo dos governantes é acabar com isso. Aqui no País, existe uma meta: conseguir erradicar o analfabetismo daqui a cinco anos, ou seja, até 2024. Tomara que consigam!

Para incentivar a alfabetização nos vários países, a Organização das Nações Unidas (ONU) e a Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco) criaram o Dia Internacional da Alfabetização, que é comemorado hoje.

Quanto maior for a taxa de pessoas alfabetizadas de um país, melhor ele é em termos de desenvolvimento, qualidade de vida e riqueza. Por isso os países não querem ter analfabetos.

Quem sabe ler e escrever, por exemplo, irá ter um emprego melhor, com um salário maior, do que aquele que não sabe. Mas será que ser alfabetizado é bom apenas para isso? Pra que mais serve?

A reportagem do Cruzeirinho foi até uma escola de Sorocaba, o CEI-7 Francisca Moura Pereira da Silva, no Jardim Santa Rosália, para verificar se as crianças consideram importante ler e escrever e pra que isso serve. As respostas foram muito legais. E você, o que pensa sobre esse assunto? Confira o que meninos e meninas que estão perto da idade da alfabetização disseram:

Leia mais  Crianças de Sorocaba aprendem sobre o Cerrado e o lobo-guará

De olho no formato das letras

Aprender a ler e a escrever é muito bom!
Na educação infantil as crianças já aprendem as letras de seu nome. Crédito da foto: Emidio Marques

Quando se depara com alguma palavra, Ana Laura Ferreira Galvão, 4 anos, do pré-1, tenta copiar e adivinhar o que está escrito olhando o formato das letras. Se por caso tiver desenho junto, tenta adivinhar do que se trata. Se não conseguir identificar o que é, daí pergunta para um adulto. “Já sei o abecedário”, conta. Ana Laura afirma que vai até a escola para crescer inteligente. Mais do que aprender as letras, ela costuma brincar e ajudar os amigos que se machucam. Também aprendeu a cuidar dos materiais, pedir desculpa, falar obrigada e por favor.

Bilhetes para os pais

Prestes a entrar no ensino fundamental 1, onde iniciará a alfabetização, Kauan Mendes Victor Domingues, 6 anos, aluno do pré-2, já está na expectativa. Ele afirma que gosta de estudar e vai até a escola porque tem de aprender as coisas. “Venho aprender a estudar matemática, as letras, desenhar… É importante saber ler e escrever porque daí você poderá saber muitas coisas”, afirma. Além do próprio nome, Kauan sabe escrever papai e mamãe — e faz bilhetes para eles.

Leia mais  Dia Nacional de Urubuzar: bicho sabe atravessar a rua?

Objetivo é ficar inteligente

“Eu vou para a escola para brincar, aprender e ser feliz”, afirma Lara Barros Nunes de Lima, 4 anos, aluna do pré-1. Ela conta que está aprendendo sobre as letras e pintar. Para Lara, é importante saber as letras. “Pra gente ficar inteligente”, diz. “Já aprendi a letra do meu nome, que é o L”, comenta, toda orgulhosa. Questionada se não sabe ler e escrever, como consegue mexer no celular, ela logo afirma: “aprendo com o papai e a mamãe”.

Importante ter educação

Aprender a ler e a escrever é muito bom!
Crédito da foto: Emidio Marques

Para Vinícius Alexandre Cézar Domingues, 5 anos, as pessoas precisam saber ler e escrever “porque às vezes tem de assinar documento”. Ele conta que vai à escola para estudar letras e números. “É importante estudar para ter educação”, diz.

Ela quer saber de tudo

Manuella Felix Chagas Turri, 6 anos, quer muito aprender a escrever os nomes e saber sobre os números. “A gente tem que ficar inteligente, tem de estudar para quando crescer a gente saber tudo”. Manuella conta que na escola tem livros, mas como ela e os amigos ainda não sabem ler, a professora lê para todos.

Aprender coisas boas

“Estou aprendendo a fazer meu nome, várias coisas”, afirma Sofia Roberta Soares, 4 anos. “Me sinto feliz em aprender. Sabendo ler e escrever, a gente aprende várias coisas boas.”

Leia mais  Crianças de Sorocaba fazem amizades por intermédio das cartas

Cada vez mais esperta

Aprender a ler e a escrever é muito bom!
Crédito da foto: Emidio Marques

Mariana Santos de Oliveira, 5 anos, afirma que além das letras, está aprendendo matemática e história. “Eu amo estudar é bom porque assim eu aprendo as coisas, isso ajuda a ficar cada vez mais esperta.”

Planos para o futuro

“Estou aprendendo aula de português, que eu fiz hoje, e também inglês, aula de pintar e aula de números. Se eu soubesse ler e escrever ficaria muito feliz, porque aí eu poderia fazer aula de música, ler livro de história e contar para os bebezinhos”, afirma Valentina Franco Galantino, 5 anos.

Dados de pesquisa

A taxa de analfabetismo do Brasil foi divulgada este ano pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e é resultado da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad) Contínua, realizada no ano passado.

Os números apontados no início desta reportagem mostram que 6,8% de pessoas acima dos 15 anos não sabem ler ou escrever. A meta do Plano Nacional de Educação para 2015, ou seja, quatro anos atrás, que era baixar o índice para 6,5%. Estamos atrasados. Vale mencionar que o Brasil ainda celebra o Dia Nacional da Alfabetização em 14 de novembro. A data foi criada em 1930 por iniciativa do Ministério da Educação e Ciência (MEC). (Daniela Jacinto)

Comentários