Casa e Acabamento Suplementos

Como trocar uma lâmpada sem correr riscos?

O primeiro passo é conhecer as medidas de segurança recomendadas para quando for mexer em um sistema elétrico
Na hora de trocar a lâmpada, a segurança é o mais importante. Crédito da foto: Energilux / Divulgação

Saber como trocar uma lâmpada pode nos salvar. Afinal, se ela queima de dia, nem sempre nos preocupamos, mas quando chega a noite e precisamos fazer algo no cômodo onde ela está, é necessário resolver a situação.

Se você não sabe fazer esse procedimento, que, apesar de simples, precisa ser feito com cuidado, acompanhe as dicas abaixo:

Medidas de segurança

A segurança é o mais importante. Por isso, o primeiro passo é conhecer as medidas de segurança recomendadas para quando for mexer em um sistema elétrico: desligue o interruptor se for trocar a lâmpada do teto. Luminárias devem ser tiradas da tomada antes de o serviço começar.

Se possível, desligue o disjuntor ou a chave geral da casa para ter mais segurança; nunca faça o procedimento descalço, pois o corpo pode conduzir eletricidade; use uma escada estável — ou peça para alguém mantê-la firme —, caso precise alcançar o teto; não toque em lâmpadas que estejam quentes; use um pano ao apoiar a mão da lâmpada, para evitar se queimar se ela ainda estiver quente e se machucar caso o vidro quebre; use óculos protetores se for mexer na lâmpada do teto. Assim, evita que caia sujeira nos seus olhos; apoie bem a lâmpada retirada em alguma superfície, evitando que ela role, caia e quebre (coloque-a em um pano sobre uma mesa, por exemplo).

Troca de lâmpada de rosquear

Com as medidas de segurança devidamente tomadas, é hora de fazer a troca. Em residências, as lâmpadas mais comuns são de rosquear, incandescentes, fluorescentes ou de LED. Para tirá-la do bocal, basta girá-la em sentido anti-horário até perceber que está solta. Depois, é só rosquear a lâmpada nova em sentido horário.

Leia mais  Pandemia muda hábitos de vida e leva o conceito Urban Jungle para os interiores
Se possível, desligue o disjuntor ou a chave geral da casa para ter mais segurança. Crédito da foto: Ministério da Educação / Divulgação

Lembre-se de não colocar muita pressão sobre a parte de vidro enquanto faz o procedimento para não quebrá-la.
Depois da troca, religue o sistema elétrico e verifique se a lâmpada funciona. Se não funcionar, repita o procedimento (desligue o interruptor antes), deixando-a bem encaixada.

Lâmpada fluorescente

Em algumas residências, há luminárias tubulares (aquelas compridas, dispostas horizontalmente e com um par de lâmpadas fluorescentes). Essas lâmpadas não são de rosquear, mas de encaixar (em geral, elas têm pinos dos lados, que se encaixam nas extremidades do suporte).

Antes da troca, analise a luminária e veja se é necessário retirar alguma grade ou desparafusar alguma parte para conseguir mexer na lâmpada. Retire com cuidado as peças da luminária, pois elas podem ser danificadas caso você use muita pressão. Lembre-se daquela velha lição: “não é força, é jeito”.

A lâmpada sai facilmente girando a mesma até alinhar os contatos com o trilho de encaixe do soquete ou afastando-os. Preste atenção porque depois que você girar a lâmpada, ela pode se desprender e cair. Na hora de colocar a nova, é só realizar o procedimento inverso.

Leia mais  Como funciona a luz de emergência e qual a sua importância

Se a luz não funcionar após a troca da lâmpada, o problema pode estar no reator da luminária. Nesse caso, é melhor chamar alguém que saiba trocá-lo ou ver as instruções no manual — especialmente se você nunca trocou esse dispositivo antes.

Luz de LED

Para não ter de lidar com lâmpadas queimadas frequentemente, a melhor opção é usar luz de LED. Essa tecnologia tem alta durabilidade, o que significa que a lâmpada funcionará por anos antes de queimar. Fora isso, o LED tem a vantagem de ser mais econômico para a conta de luz e de ser ecologicamente correto.

As luminárias tubulares (para lâmpadas fluorescentes) em geral comportam as de LED também (se elas forem do mesmo tamanho). É possível, portanto, substituir um tipo pelo outro.
Para isso, basta retirar as lâmpadas fluorescentes velhas, encontrar e retirar o reator do circuito (não será mais usado), ligar os fios de alimentação direto no soquete de um dos lados da luminária e reinstalar as lâmpadas tubulares novas de LED.

Para lâmpadas de LED de rosquear, como as bulbo residenciais, a substituição é ainda mais fácil pois elas servem nos bocais de todo tipo de luminária e não requerem modificação no circuito, como troca de reator ou modificação na fiação. Apenas desrosqueie a lâmpada velha e instale a lâmpada LED nova. Simples assim! (fonte: Energilux)

Comentários