Casa e Acabamento

Quais as diferenças entre protetor eletrônico e régua de tomada?

Quais as diferenças entre protetor eletrônico e régua de tomada?
A régua de tomada é apenas um extensor, sem proteção aos aparelhos conectados. Crédito da foto: Divulgação Intelbras

As oscilações de energia podem danificar e queimar equipamentos eletrônicos ligados nas tomadas, assim como sobrecargas e curto-circuitos. Para preservar equipamentos conectados em uma mesma tomada, por exemplo, é indicado o uso de dispositivos como o protetor eletrônico e o nobreak, que preservam TVs, computadores, videogames, entre outros eletroeletrônicos, das oscilações elétricas e outras sobrecargas.

Há no mercado diversos aparelhos, mas que muitas vezes são vendidos sem especificar a função. A maior confusão ocorre entre o protetor eletrônico e a régua de tomada. Os dois até são parecidos, mas têm funcionalidades bem diferentes, informa o blog da fabricante Intelbras.

Na verdade, a régua de tomada não apresenta nenhuma forma de proteção, pois é apenas um extensor, que permite que vários aparelhos sejam ligados em uma única fonte de energia. Por outro lado, o protetor eletrônico atua contra sobrecargas e curto-circuitos, inclusive na volta da energia após uma queda, e também contra surto de tensão, de acordo com a Intelbras. Ou seja, há uma dupla proteção ao usar este dispositivo.

Quais as diferenças entre protetor eletrônico e régua de tomada?
Chave permite cortar energia sem tirar fio da tomada. Crédito da foto: Divulgação

O protetor conta com um fusível e um varistor. O fusível vai atuar em caso de sobrecarga e curto-circuito. Por exemplo, se a TV estiver consumindo uma carga acima do normal, esse componente vai desarmar, evitando que o aparelho seja danificado. Após isso, o fusível deve ser trocado por um reserva para que o equipamento voltar a funcionar (em alguns produtos já vem incluso um fusível “extra”).

Leia mais  Limpeza e cuidados deixam casa protegida contra o coronavírus

Já o varistor é uma proteção associada à rede elétrica, para impedir danos causados por aumento repentino de tensão. Um exemplo é o “apagão” que pode acontecer em uma residência. No momento em que a energia volta, é comum que a tensão esteja acima do normal, podendo danificar e até mesmo queimar os aparelhos eletrônicos.

Há ainda no mercado modelos de protetor eletrônico que contam com chave liga/desliga, que permite cortar o fornecimento de energia de todos os equipamentos conectados sem precisar tirá-lo da tomada, diz a Intelbras. Além do protetor eletrônico, outros dispositivos são eficazes na proteção contra sobrecargas elétricas. Um deles é o nobreak, que também mantém os equipamentos funcionando mesmo em caso de queda de energia.

Comentários