Casa e Acabamento

O quarto dos irmãos: aprendendo a dividir

Arquitetos sugerem soluções de decoração e organização para que cada um tenha seu espaço
O quarto dos irmãos: aprendendo a dividir
Camas posicionadas em “L” deixam o centro mais vazio para as brincadeiras. Crédito da foto: Divulgação

Ocupar o mesmo espaço é um exercício de convivência para as crianças. Elas aprendem a dividir, respeitar e colaborar. Mas decorar um quarto para irmãos, ou mesmo adaptar o ambiente para a chegada do segundo filho, pode ser uma tarefa desafiadora para os pais.

Leia mais  A transformação do quarto das crianças renova o espaço de dormir

 

Conseguir acomodar duas camas em um layout funcional, escolher as cores e conciliar os gostos das crianças são alguns dos dilemas. Os profissionais Karina Korn, à frente do escritório Karina Korn Arquitetura, e Renato Andrade e Erika Mello, sócios do escritório Andrade & Mello Arquitetura, dão dicas de decoração para que os irmãos convivam em um quarto com a cara deles.

Além de acomodar as duas camas da maneira mais confortável possível, pensar na disposição dos móveis no quarto também é importante para reservar um cantinho de brincar e de estudar. “Isso vale tanto para uma beliche, uma bicama ou camas separadas. No último caso, costumo posicionar as camas formando um “L” para deixar o centro mais vazio. Esse espaço livre é perfeito para as brincadeiras”, diz Karina.

Em quartos pequenos, que muitas vezes têm uma forma estreita, a ideia é aproveitar o espaço vertical. “Vale usar beliche ou uma cama alta, que é como uma beliche apenas com o colchão em cima, permitindo acomodar uma escrivaninha ou mesmo a brinquedoteca embaixo”, sugere Renato Andrade. Móveis multiuso ajudam a aproveitar o espaço.

O quarto dos irmãos: aprendendo a dividir
Móveis aproveitam parte alta do quarto para cama e armários. Crédito da foto: Elisa Soveral / Divulgação

No momento de escolher as cores do quarto e os objetos de decoração, é importante ouvir as crianças. “Acho valioso consultar os pequenos moradores quanto às suas vontades e necessidades. O quarto precisa ficar com a carinha deles também”, aconselha Karina.

A arquiteta Erika Mello reforça que as escolhas devem agradar e respeitar a individualidade das crianças. “É possível que cada um deles tenha o seu lado personalizado, como a cabeceira diferente ou o nome no seu canto.”

Quando as faixas etárias são diferentes, a dica é usar uma cor mais neutra, para que o quarto fique atemporal e agradável para ambos.

Para quem está começando a família e logo pretende aumentá-la, vale montar o quartinho já reservando um espaço para o berço ou uma segunda cama.

Comentários