Casa e Acabamento

Impermeabilização – quando e onde usar?

Unidade é um problema que afeta muitas construções, e que acontece por várias razões
Impermeabilização - quando e onde usar?
A aplicação do impermebializante deve ser feita com atenção às recomendações do fabricante, seja a aplicação feita em paredes, lajes ou fundações, seja o produto um material viscoso ou uma manta. Crédito da foto: Reprodução da Internet

Unidade é um problema que afeta muitas construções, e que acontece por várias razões. É o caso de paredes que recebem a água da chuva que cai do telhado e respinga nas paredes, por exemplo, ou paredes externas que estejam em contato direto com a terra, sem nenhuma “calçadinha”, ou do muro, pela água que escorre pelas laterais.

Nesse caso podem ser aplicados revestimentos resistentes à umidade nas paredes, ou colocadas telhas no topo dos muros, por exemplo. se a intenção for apenas evitar manchas causadas pelo contato direto com a água, tanto na parte interna quanto na parte externa, os revestimentos são suficientes. No box do chuveiro é uma situação fácil de ser resolvida. Por exemplo, com o uso de azulejos.

Leia mais  Condomínios devem fazer vistoria e limpeza para evitar escorpiões

 

Assim, se a intenção for apenas evitar manchas causadas pelo contato direto com a água, na parte externa da residência, ou nos banheiros, os revestimentos são suficientes. Mas, e quando a mancha aparece numa parede interna, ou no teto, sem nenhuma razão aparente?

Uma reação comum é querer cobrir com algum revestimento impermeável. Mas isso não resolve. Essa tentativa, de aplicar revestimentos Impermeabilizantes nas paredes com umidade é uma resposta paliativa, que apenas esconde temporariamente as manchas causadas, pois impermeabiliza do ambiente para a parede. Ou seja, impede que você veja a umidade, e que a água escorra para dentro do cômodo.

O problema só se resolve após a fonte da umidade ser localizada.

Descobrindo a razão

Impermeabilização - quando e onde usar?
Crédito da foto: Reprodução da Internet

Em caso de infiltração é essencial saber de onde vem o vazamento. Isso porque se houver um vazamento nos canos, e você cobriu a mancha com algum impermebializante, a água não irá mais passar através daquela camada, mas vai desviar para outro local. Ela precisa escoar para algum canto. Então a impermeabilização apenas muda o problema de lugar, ao invés de resolver. Além disso, o excesso de água nas paredes pode ir fazendo com que elas fiquem destruídas, amolecidas por dentro. Vazamentos precisam, portanto, ser resolvidos quando acontecem, seja na tubulação, nas telhas ou em calhas.

Pode ser também que a infiltração ocorra no piso do banheiro de um andar para o outro. Nesse caso, a água não está saindo de nenhuma tubulação com defeito, mas é a água do banho que está sendo absorvida pelo piso. Nesse caso, o impermeabilizante resolve o problema, mas deve ser aplicado na parte do piso que fica em contato com a água. Além do piso, ele subir nas paredes cerca de 30 cm.

É imprescindível então a aplicação de materiais feitos especialmente para impermeabilizar a parede, como tintas Impermeabilizantes ou mantas. Eles impedem que a umidade interna da parede atinja a superfície. E com isso impedem também que a umidade invada o ambiente.
E existem locais, como lajes, fundações, pisos internos em contato direto com o solo, contenções de muros, piscinas, etc, que também precisam de impermeabilização.

O impermeabilizante correto

Impermeabilização - quando e onde usar?
Crédito da foto: Reprodução da Internet

Existem diferentes opções, divididas basicamente em dois tipos:

Impermeabilizantes rígidos: São argamassas Impermeabilizantes, cimentos poliméricos, resinas epóxi e cristalizantes. Eles só podem ser aplicados nas partes mais estáveis da construção, onde trincas e fissuras aparecem com menor frequência. Alguns exemplos de locais:fundações, pisos internos em contato com o solo, contenções e piscinas enterradas.

Impermeabilizantes flexíveis: São as mantas e membranas asfálticas, mantas de PEAD, PVC, EDPM e membranas de poliuretano. Por serem materiais com mais flexibilidade, eles podem ficar em estruturas sujeitas a movimentações, vibrações e variações térmicas, como lajes, paredes ou terraços, por exemplo. (Da Redação)

Comentários