Casa e Acabamento

Espaço de estudo para crianças e adolescentes

Aulas em casa exigem um mínimo de conforto para se concentrar nas lições transmitidas a distância
Espaço de estudo para crianças e adolescentes
Bancada fixada na parede poupa espaço no quarto. Cadeira e gaveteiros completam o ambiente. Crédito da foto: Celina Germer / Divulgação

Nos últimos meses se tornou importante ter um lugar da casa confortável e com mínimo de interferência de outros ambientes, o espaço de estudo para crianças e adolescentes. Mesmo com a volta gradual das atividades escolares presenciais, as aulas on-line continuam fazendo parte do cotidiano de alunos e professores.

Nunca foi tão importante ter um lugar ergonômico e confortável para tantas atividades em casa e acertar na escolha de bancada e móveis estão entre os cuidados essenciais, diz a arquiteta Karina Korn. O estudo em casa virou uma rotina inesperada desde o início da pandemia do novo coronavírus, em março. “Mas nem por isso deve-se abrir mão do conforto necessário para as crianças se concentrarem e passarem horas dedicadas às lições”, conforme a arquiteta, que dá dicas sobre dimensões da bancada, escolha da cadeira e outros pontos relevantes para um cantinho de estudo eficiente e confortável.

Espaço de estudo para crianças e adolescentes
Nichos e prateleiras ajudam a guardar os livros e cadernos. Crédito da foto: Divulgação

Quem tem criança em casa sabe que qualquer dificuldade pode ser um motivo para não querer estudar e, por isso, é preciso investir em móveis que tornem o espaço mais agradável e estimule esse momento, além de um ambiente que disponha de tranquilidade e boa acústica.

A altura da bancada, por exemplo, deve ser adequada ao tamanho da criança, para que a coluna fique ereta durante o uso, de acordo com a arquiteta. “Em caso de móveis planejados, uma opção bacana é investir em um tampo que possa ser colocado em diferentes alturas, acompanhando as diferentes fases da criança”, diz Karina. A mesa de estudo deve ter, no mínimo, 80 cm de largura e 50 cm de profundidade, medida ideal para apoiar todos os objetos, além de oferecer área suficiente para abrir e movimentar computador, livros e cadernos.

Espaço de estudo para crianças e adolescentes
Cores dos móveis podem combinar com o restante do quarto. Crédito da foto: Divulgação

A altura da mesa de estudos deve ter 65 cm de altura para os pequenos de até sete anos. Para crianças maiores, incluindo adolescentes e adultos, a altura pode variar de 73 a 83 cm. “Se colocarmos um padrão, procuro sempre investir em mesas de 76 cm de altura, que acaba sendo ideal para que a criança e adolescente use por muito tempo. Vale também fazer uma mesa inferior com 65 cm de altura como apoio para crianças menores”, explica Karina.

A seleção da cadeira também deve ser adequada ao tamanho dos pequenos, lembrando que as pernas precisam ficar em um ângulo de 90 graus. Por isso, a preferência é por modelos que permitam o ajuste de altura, permitindo que o móvel atenda a criança por muitos anos e até mesmo se adeque a irmãos de diferentes idades. “Prefira também peças estofadas e com braços, proporcionando total conforto durante os momentos de estudo”, sugere a arquiteta.

Espaço de estudo para crianças e adolescentes
Altura deve ser adequada para evitar incômodo no uso diário. Crédito da foto: Celina Germer / Divulgação

Quem usa computador deve levar em conta a altura do monitor, para que as costas não fiquem curvadas. A dica de Karina Korn é que a distância mínima entre os olhos e a tela dever ser de um braço, já o teclado e o mouse devem ser alinhados aos cotovelos. “Todo esse cuidado é ainda mais importante com as crianças, que estão na fase de crescimento”, revela alerta a arquiteta, que também sugere suporte de tela para computador, caso seja necessário. (Da Redação)

Comentários