Casa e Acabamento

Em busca da cozinha perfeita

Uma cozinha prática, bem equipada e funcional -- além, é claro, de bonita -- é o sonho de muita gente
Em busca da cozinha perfeita
Para quem recebe amigos em casa, a ilha central transforma-se na nova sala de estar da residência. Crédito da foto: Divulgação

Para muitos, a cozinha é o espaço preferido da casa. É onde a família se reúne e conversa em meio à correria do dia a dia e também onde ocorrem os momentos mais relaxantes, como na preparação das receitas gourmet especiais, cheias de aromas e sabores, principalmente aos fins de semana.

Ter uma cozinha ideal e com todos os utensílios e eletrodomésticos à mão é desejo de qualquer chef. Seja nos tamanhos pequeno, médio ou grande, é possível aproveitar melhor o espaço, deixá-la prática e eficiente, além de bonita, por que não?

Em busca da cozinha perfeita
Cada vez mais comuns, as cozinhas pequenas devem ater-se aos itens imprescindíveis. Crédito da foto: Graziella Widman / Nicole Finkel Arquitetura e Interiores

Primeiramente, não importa quais sejam as dimensões da área reservada, é preciso lembrar que, independentemente do tamanho, os pontos imprescindíveis são: geladeira, bancada de pia, cuba, torneira e um espaço para o fogão, que hoje em dia pode ser um cooktop com forno embutido, diz a arquiteta Nicole Finkel. Além disso, segundo ela, o micro-ondas tornou-se outro item fundamental, por causa da praticidade para o dia a dia.

Nicole destaca o triângulo do trabalho. Você já ouviu falar? É um alinhamento que traça um triângulo imaginário entre a pia, fogão e a geladeira, fazendo com que cada um desses itens esteja em uma das pontas da figura geométrica. A regra facilita a mobilidade, posicionando os móveis e eletrodomésticos nos espaços adequados. “Essa regrinha vale para todas as cozinhas, seja ela de cinco, oito ou 15 metros quadrados”, revela a arquiteta.

Em busca da cozinha perfeita
A marcenaria planejada é a melhor opção para acomodar eletrodomésticos de forma eficiente. Crédito da foto: Graziella Widman / Nicole Finkel Arquitetura e Interiores

As cozinhas pequenas são cada vez mais comuns, principalmente em apartamentos. Para Nicole, “é preciso aproveitar as paredes para posicionar o máximo de armários possíveis e, com relação à bancada da pia, trazê-la para perto da janela”. Quanto ao fogão, o mais prático é optar por um modelo com forno acoplado. As paredes e os cantos servem para montar bancadas e prateleiras. Além da economia de espaço, o aproveitamento vertical deixa tudo à mão.

Leia mais  Em tempos de pandemia, como limpar estofados com eficiência?

A bancada da pia deve sempre ficar livre para o manuseio dos alimentos, como cortar vegetais ou mesmo a utilização de uma batedeira de bolo. Suportes, prateleiras e gavetas ajudam a guardar utensílios que podem ser necessários a qualquer momento.

Em busca da cozinha perfeita
As bancadas para manuseio de alimentos e prateleiras valorizam os cantos do ambiente. Crédito da foto: Graziella Widman / Nicole Finkel Arquitetura e Interiores

A arquiteta sugere móveis multifuncionais e que disponham de espaço para acoplar eletrodomésticos. No caso de cozinha integrada com a área de serviço, uma porta de vidro — ou outra barreira — evita que o cheiro vá para as roupas. Caso não seja possível, a dica é não estender roupas enquanto estiver com panela no fogo, principalmente frituras.

Para as cozinhas médias e grandes, Nicole faz outras observações. Se há costume de receber amigos em casa, a ilha central transforma-se na “nova sala de estar” da residência. O balcão posicionado no meio da cozinha acomoda os convidados que conversam, bebem e participam do preparo da receita. No entanto, Nicole alerta que a ilha não pode interferir na circulação e na abertura de armários e geladeira.

E dá para ir além, conforme a arquiteta. A amplitude permite pensar em uma copa para refeições rápidas ou até mesmo a divisão entre duas cozinhas: uma para a vida cotidiana e outra para com uma essência “mais gourmet”.

Leia mais  Fluidez e um novo astral para o lar
Em busca da cozinha perfeita
O bom aproveitamento vertical com móveis deixa tudo à mão. Crédito da foto: Graziella Widman / Nicole Finkel Arquitetura e Interiores

Para os armários e balcões, a marcenaria planejada é a melhor opção, por causa da preferência pelo número e posições de gavetas e compartimentos

Eletrodomésticos modernos e práticos podem ser escolhidos para compor a cozinha ideal. Mas mesmo com mais espaço, é bom não exagerar na quantidade. Há alguns eletrodomésticos que são pouco ou raramente usados no dia a dia de uma cozinha residencial.

Iluminação adequada deixa espaço mais funcional

A iluminação adequada e funcional é fundamental para o preparo dos alimentos e auxilia até mesmo na higiene dos utensílios e na segurança, como evitar um ferimento na mão por corte de faca, por exemplo. Um projeto bem elaborado para esse importante cômodo da casa contempla necessariamente a luz, que pode também ter efeito decorativo.

“Nós precisamos de mais luz na cozinha do que na sala de estar, por exemplo. Nesta área, é preciso de 300 a 500 lux (unidade da quantidade de luz no ambiente) comparando com o local de descanso, que precisa em torno de 50 a 100 lux”, diz a arquiteta Vanessa Keiko, do Estúdio FCK.

Em busca da cozinha perfeita
Para a iluminação geral da cozinha, aposte em luminárias e plafons em LED. Crédito da foto: Luís Gomes / Estúdio FCK

Para criar uma iluminação adequada nesse ambiente, Felipe Luciano, também arquiteto do Estúdio FCK, ressalta que a lâmpada branca é a melhor opção, mas há opções de composições de luzes diretas e indiretas misturando as cores branca e amarela.

“Para a iluminação geral da cozinha, vale apostar em sancas abertas, luminárias e plafons em LED, por exemplo, que permitam uma iluminação ampla. Acrescentar luzes na marcenaria, sob a bancada além de auxiliar no preparo dos alimentos, pode deixar a cozinha ainda mais charmosa”, indica Felipe.

Leia mais  Piso novo não é sinônimo de quebra-quebra

Nas cozinhas que possuem área gourmet completa, com bancadas para refeições rápidas, outra alternativa é investir em pendentes. No mercado, há diversos tipos, desde os mais simples, com soquete e lâmpada de filamento, até os mais modernos, com cúpulas trabalhadas, coloridas e de diferentes formatos.

Em busca da cozinha perfeita
Colocar luzes na marcenaria, sob a bancada, deixar o ambiente mais charmoso. Crédito da foto: Luís Gomes / Estúdio FCK

“Enquanto o momento do preparo dos alimentos requer atenção, na degustação podemos contar com uma luz mais suave, com menor intensidade. Os pendentes são ótimas opções para esse tipo de local já que possuem uma iluminação mais focada e fechada, além do design que faz toda a diferença”, completa Vanessa.

Em uma cozinha integrada às salas de jantar e estar, os arquitetos priorizaram uma iluminação central e embutida no forro e também usaram fitas de Led no armário alto para clarear a bancada. Dá para apagar a iluminação geral do teto e deixar apenas a de Led quando não estiver preparando refeições, “criando um efeito mais confortável”, diz a arquiteta.

Para outro projeto, de uma cozinha em estilo de corredor, a melhor opção foi uma iluminação geral com luminárias embutidas, mais limpa e moderna, para compensar as cores mais escuras nos armários e eletrodomésticos.

Comentários