Sorocaba e Região

Votorantim inicia período mais restritivo nesta quarta-feira (31)

O período vai até o dia 11 de abril, com exceção dos bancos, cujas restrições ocorrerão até o dia 6
Prefeita de Votorantim, Fabíola Alves, anuncia novas medidas. Crédito da foto: Fábio Rogério (30/03/2021)

A cidade de Votorantim inicia nesta quarta-feira (31) a fase mais restritiva no enfrentando da pandemia desde 2020. O período vai até o dia 11 de abril, com exceção dos bancos, cujas restrições ocorrerão até o dia 6 de abril. A cidade não terá antecipação de feriados. As informações foram confirmadas pela prefeita Fabíola Alves (PSDB), em coletiva de imprensa no Paço Municipal da cidade, na terça-feira (30). A expectativa é de que as medidas ajudem a reduzir ocupação de leitos na cidade.

Entre as medidas, anunciadas pela chefe do Executivo, está o fechamento das agências bancárias da cidade. Nos supermercados, haverá restrição de ocupação de até 50%. Já o número de vagas no estacionamento será limitada a 60%.

Todas as atividades comerciais serão suspensas após às 20h. A lista inclui as consideradas essenciais, como padarias, supermercados e açougues. Os mercados, supermercados, hipermercados, padarias, mercearias deverão funcionar entre 6h e 20h.

Leia mais  Megaferiado exigiu adequação trabalhista

As atividades de construção civil ficam suspensas, com exceção das obras e dos serviços emergenciais de manutenção, de segurança estrutural e a zeladoria pública e privada. O decreto também vai suspender o atendimento presencial em estabelecimentos que trabalhem com a comercialização de ração animal. Esses locais poderão funcionar somente pelo sistema drive-thru, com entrega diretamente nos veículos ou delivery.

A exemplo de Sorocaba, postos de combustíveis funcionarão até às 20h, fechando aos domingos. As conveniências deverão ser fechadas.

As multas, em caso de descumprimento, começam em cerca de R$ 350,00. Em caso de reincidências, o local poderá ser lacrado. A cidade também manterá barreiras sanitárias. Fabíola Alves, novamente, não descartou a possibilidade de lockdown, caso com essas medidas, os números da pandemia não recuem.

O corte na distribuição de água na cidade continua proibido por parte da concessionária Águas de Votorantim. A medida também vale até 11 de abril.

Leia mais  Estoques de oxigênio estão em nível crítico em municípios paulistas

Entre os argumentos para as medidas, Fabíola Alves destacou o aumento no número de casos e óbitos na cidade, além da maior agressividade nas novas contaminações. “Hoje, nossa maior preocupação é esse excedente nos 100% de ocupação tanto nos leitos clínicos, quanto nos leitos de UTI”, diz. De acordo com ela, o objetivo é chegar a pelo menos 80% de ocupação.

“Os dados estão cada mais drásticos e estamos cada vez mais com os leitos comprometidos. Enquanto a gente não diminuir a circulação do vírus pela população, nós não vamos parar com isso. Só vamos ter uma curva crescente”, adverte Izilda Maris Chiozotto, secretária de Saúde da cidade.

Entrosamento

O presidente da Câmara de Votorantim, José Claudio Pereira, o Zelão (PT), que participou da coletiva, lembrou que a decisão foi tomada em conjunto com o Legislativo. O parlamentar ainda afirmou que a antecipação de feriados é uma forma até de enganar a população. O problema poderia, segundo ele, gerar mais demissão, em especial na indústria. Por isso, a medida não foi adotada na cidade. “Nossa situação, hoje, é muito delicada. Nós temos que ser sinceros com a população. E que a população nos ajude para que no futuro não seja obrigatório a dar um lockdown”, enfatiza.

As medidas não afetam as farmácias. O período de restrição poderá ser entendido. (Marcel Scinocca)

Comentários