Buscar no Cruzeiro

Buscar

Acervo

Vandalismo afeta atendimento nas Unidades Básicas de Saúde

20 de Outubro de 2020
Ana Claudia Martins [email protected]

Vandalismo afeta atendimento nas Unidades Básicas de Saúde A UBS do Nova Esperança foi alvo de furtos e vândalos pelo menos cinco vezes. Crédito da foto: Vinícius Fonseca (16/10/2020)

De janeiro até esta segunda-feira (19), 24 ocorrências foram registradas pela Guarda Civil Municipal (GCM) de casos de furtos e de depredação em Unidades Básicas de Saúde (UBSs) de Sorocaba.

Sem câmeras de segurança, geralmente as unidades são alvo de furtos de cabos elétrico, fibra ótica e atos de vandalismo. As ações acabam prejudicando o atendimento dos pacientes.

Questionada a respeito, a Prefeitura de Sorocaba informa que a Secretaria de Segurança Urbana (Sesu), por meio da GCM, faz patrulhamentos nos próprios municipais, e atua diretamente na proteção dos bens e serviços, tendo adotado medidas para intensificar as ações nos locais de maior incidência de ocorrências.

Segundo a Prefeitura, os números são menores em 2020, em relação a 2019 e 2018. No ano passado, no total, a GCM registrou 50 ocorrências e, em 2018, 31 casos. Todas de casos de furtos e atos de vandalismo em UBSs.

Nova Esperança

Entre setembro e outubro, a UBS do Nova Esperança foi alvo de furtos e atos de vandalismo pelo menos cinco vezes. Por conta de furtos da fiação da rede elétrica, a unidade ficou com parte do prédio sem energia elétrica. A situação obrigou médicos a levarem lanterna para atender pacientes no escuro.

Segundo a Secretaria da Saúde (SES), os furtos na UBS Nova Esperança danificaram as redes elétrica e de internet, além de danos a cadeados, portões e correntes. A SES informou que todos os crimes constam em boletins de ocorrência.

A SES informa ainda que na segunda-feira (19) acionou equipes de manutenção, que estiveram no local para avaliar as consequências e iniciar os reparos na UBS. A pasta acrescenta que solicitou à GCM a intensificação do patrulhamento naquela região.

Conforme a SES, por conta do vandalismo, a unidade vem atendendo somente a consultas médicas e fazendo curativos, coletas de exames e fornecimento de medicação. Pacientes que precisam de outros serviços vão para UBSs mais próximas.

Em relação às vacinas, as doses são enviadas à Sala Central de Vacina e passam pela “quarentena” para avaliar se as doses serão descartadas ou não. Sem energia elétrica, a UBS fica impossibilitada de armazenar as doses de vacinas para as campanhas e para o calendário vacinal anual.

Habiteto e Carandá

Na semana passada, situação parecida afetou as UBSs do Habiteto e a do Carandá. A falta de conexão de internet nas duas unidades prejudicou os atendimentos e demais serviços, afirmam pacientes.

No dia 11, ladrões furtaram cabos elétricos, fibra ótica e equipamentos de rede de um prédio público no Habiteto. De acordo com a Secretaria de Planejamento (Seplan), a indisponibilidade de internet foi causada por atos de vandalismo.

Segundo a Seplan, é por meio desse prédio público que acontece a distribuição de rede da Prefeitura para atender às UBSs, por isso, a falta de conectividade. O problema também ocorreu na UBS Carandá porque o posto depende da conexão via rádio instalada no mesmo local vandalizado. A SES informou que os reparos estavam programados para serem feitos nesta segunda-feira (19). (Ana Cláudia Martins)