Sorocaba e Região

Unimed Sorocaba completa 48 anos e é referência em transplantes

Dentro de todo o sistema Unimed, a Unimed Sorocaba destaca-se pelos transplantes de fígado, medula óssea e rins
Unimed Sorocaba completa hoje 48 anos de fundação
O Hospital Dr. Miguel Soeiro é um dos mais importantes do Sistema Unimed Nacional. Crédito da foto: Fábio Rogério

A Unimed Sorocaba completa nesta terça-feira (4) 48 anos de fundação. A cooperativa teve início com um grupo de 47 médicos e é, atualmente, um sólido complexo médico-hospitalar. Ela é formada por 1.073 médicos cooperados, 2.092 funcionários, cerca de 85 mil clientes diretos. Conta, ainda, com uma das mais modernas instituições hospitalares do Brasil: o Hospital Dr. Miguel Soeiro (HMS), que figura entre os mais importantes dentro de todo o Sistema Unimed Nacional.

Atualmente, a Unimed Sorocaba é presidida pelo cirurgião vascular José Francisco Moron Morad, que cumpre seu segundo mandato à frente da instituição. “Ao lado dos demais membros da Diretoria Executiva e do Conselho de Administração, buscamos atender aos anseios de milhares de clientes, com qualidade e competência, bem como proporcionar campo de trabalho aos médicos da cidade e da região”, explica. Ele também destaca a importância dos colaboradores. “Eles são exemplares, competentes, comprometidos e envolvidos com nossa missão institucional. Indiscutivelmente, sem eles, jamais conseguiríamos oferecer serviços com tanta qualidade”, afirma.

Leia mais  Tatuí abre festa de aniversário com dezenas de atrações

Ampliações

No final de 2017, teve início uma série de obras de ampliações, que agora, estão em vias de serem entregues. Entre elas, estão as da UTI adulto e pediátrica, do refeitório, da cozinha, da sala de espera da internação, do estacionamento e do Serviço de Nutrição e Dietética (SND).

A UTI adulto, por exemplo, será contemplada com mais 2.700 metros quadrados de área, permitindo a instalação de 22 novos leitos, todos individualizados por boxes e com entradas independentes para visitantes e acompanhantes. Ao todo, a unidade terá 30 leitos.

Também destacam-se a ampliação do centro cirúrgico, com duas novas salas cirúrgicas e área de recuperação anestésica, e a reforma do pré-parto, adaptando o espaço para a realização do parto adequado, em conformidade com o Projeto Parto Adequado da ANS, do qual a Unimed Sorocaba é uma das signatárias.

Transplantes

Dentro de todo o sistema Unimed, a Unimed Sorocaba vem se consolidando como referência na área de transplantes, sobretudo nos de fígado, medula óssea e rins. A modalidade transplante renal foi retomada em 2019, com doadores falecidos. Todos esses procedimentos são realizados no Hospital Unimed Dr. Miguel Soeiro (HMS), que é o único hospital privado do interior paulista habilitado para realizar transplantes de fígado. Ele é, atualmente, o quinto centro com maior produção nesta modalidade de transplante, dentre as 34 equipes habilitadas no Estado.

Leia mais  Prefeitura de São Roque fará concurso para contratar motoristas

Até hoje, a cooperativa já realizou 1.140 transplantes, somando os renais, ósseos, de córnea, de fígado, de fígado-rim (duplo), de medula óssea (autólogo e alogênico) e de coração. Muitos destes procedimentos foram feitos com recursos do Sistema Único de Saúde (SUS), beneficiando, inclusive, pessoas que não eram clientes da Unimed Sorocaba.

Segundo o vice-presidente da Unimed Sorocaba, Paulo Hungaro Neto, hoje, a cooperativa é, dentro do Sistema Unimed (formado por cerca de 360 singulares), a única que está habilitada para realizar todas essas modalidades de transplantes. “Mais do que a expressividade quantitativa, temos alcançado índices altamente significativos de sobrevida, graças à capacitação técnica dos colegas médicos e colaboradores que atuam especificamente nessa área”, pontua. “No caso dos transplantes hepáticos realizados no HMS, a média de sobrevida anual é de 87,8%, enquanto o índice estadual chega a 71,5%”, revela.

Leia mais  Martinez é convidado para ser líder do governo na Câmara de Sorocaba

No início deste ano, o HM conquistou a certificação máxima da Health Information and Management Systems Society (HIMSS) Analytics, conferida somente à elite dos (assim denominados) hospitais digitais, aqueles que não necessitam de registros físicos (“em papel”), mas que garantem sua segurança quando digitalizados. Na ocasião, o HMS tornou-se o sexto hospital em toda a América Latina a obter a HIMSS Nível 7. Para isso, é preciso comprovar que todo o sistema é blindado contra possíveis ataques de hackers. Até os estoques dos bancos de leite e de sangue do HMS devem ser integrados ao sistema de informações digitais, mesmo que a origem do produto seja de outra cidade ou estado, para um possível rastreio posterior. (Da Redação)

Comentários

CLASSICRUZEIRO