Sorocaba e Região

Troca de corpos gera confusão em velório de Itu

Funcionário de funerária errou as salas e família acabou sepultando corpo errado
Antonio estava internada há três dias e morreu nesta sexta-feira. Crédito da Foto: Arquivo pessoal

 

A troca dos corpos de duas mulheres causou confusão durante o sepultamento no velório de Itu nesta sexta-feira (17). A situação só foi descoberta durante a tarde, no velório de Antonia Nunes da Cruz Machado, de 66 anos. Indignada, a família chamou a polícia. Em nota, a Funerária Barbieri afirmou que houve erro por parte de um funcionário e lamentou o ocorrido.

Antonia foi diagnosticada com câncer no fígado há três meses. Há três dias teve complicações e precisou ser internada no Hospital Municipal de Itu, onde morreu nesta madrugada, deixando três filhos. No começo da tarde, a família se deparou com o corpo de outra mulher no caixão que estava na sala do velório municipal. “Nós ficamos muito abalados com essa situação. Já é um momento difícil e acabamos surpreendidos com essa confusão”, diz a sobrinha da vítima Kelly Cristina.

Leia mais  Operação integrada contra aglomerações fecha 27 estabelecimentos

Devido à pandemia, quando o falecimento não for provocado pela Covid-19, a legislação vigente permite às famílias o período de duas horas para velório e com caixão aberto. Dois sepultamentos estavam previstos para esta sexta-feira no cemitério: o de Aguida Maria Moreira de Souza, de 57 anos, durante a manhã, e o de Antonia, no período da tarde. Segundo a funerária, um funcionário acabou invertendo a salas do velório e posicionando os caixões de forma errada.

O primeiro sepultamento foi realizado normalmente, sem que percebessem o equívoco. Já durante a tarde, os familiares de Antonia questionaram a administração da funerária sobre a situação. A Polícia Militar foi acionada e acompanhou o caso. Para resolver a troca, foi necessário uma autorização para retirar o caixão do cemitério e retornar para o velório. Em seguida, Aguida foi imediatamente sepultada e Antonia foi levada às dependências da funerária para que o velório pudesse ser realizado.

Em nota, a funerária afirmou que “se prontificou em recompor a situação assim que tomou conhecimento” e que “lamenta o ocorrido”. (Jomar Bellini)

Comentários