Sorocaba e Região

Testes de Covid-19 na região de Sorocaba têm taxa de 28% de confirmação

Até segunda-feira (25), foram realizados 5.776 testes em 24 cidades da RMS
Governo monitora dois pacientes com teste positivo para coronavírus
Sorocaba tem 30 confirmações para cada 100 pessoas testadas. Crédito da foto: Marvin Recinos / AFP

De cada 100 testes para coronavírus realizados em 25 cidades da Região Metropolitana de Sorocaba (RMS), 28 são positivos. Os dados estão em um levantamento realizado pelo jornal Cruzeiro do Sul em 24 cidades da RMS, levando em consideração o total de testes positivos e descartados.

De acordo com as informações, nessas 24 cidades da RMS foram realizados 5.776 testes até segunda-feira (25), sendo que 1.658 tiveram resultados positivos. Com isso, o percentual chega a 28% de pessoas com o novo coronavírus do total testado.

Levando em consideração somente as cidades que apresentaram mais de 100 testes até 25 de maio, Sorocaba é a que apresenta o maior número de casos: são 30 confirmações para cada 100 pessoas testadas. Em Votorantim, o percentual é maior: 37. Em Itu, é de 33.

O maior índice é da cidade de Boituva, com 42%. Lá, no dia da coleta de dados, a cidade tinha 70 casos descartados e 50 positivos. Em Araçoiaba da Serra o índice era de 20%. Em Salto era de 26% e em Salto de Pirapora era de 22%.

São Roque também tinha 20%, e Ibiúna, 27%. De 20% também era o índice de Itapetininga, enquanto Tatuí tinha 26%. Com 14,5%, Porto Feliz foi a cidade com menor índice de pessoas infectadas de cada 100 testadas.

Os dados utilizados pela reportagem levam em consideração os boletins epidemiológicos das cidades divulgados entre sexta-feira (22) e segunda-feira (25). Nem todas elas divulgam dados nos finais de semana.

Dois especialistas ouvidos pelo Cruzeiro afirmaram que há muitas variáveis nesses resultados. Uma delas é o fato de que, na rede pública de saúde, somente os casos mais graves são testados — além de profissionais de saúde. Na rede privada, o teste é mais abrangente. Ainda conforme eles, é preciso saber, por exemplo, se os dados analisados referem-se à rede pública ou privada, e a subnotificação, que apresenta variação de uma cidade para outra.

O comparativo deixou de fora as cidades de Piedade e Tietê, por não apresentarem em seus boletins o número de casos descartados, inviabilizando comparações. A cidade de Jumirim não tinha casos confirmados quando os dados foram coletados. (Marcel Scinocca)

Comentários