Sorocaba e Região

Supermercados e farmácias fazem adaptações para atender clientes

Foi colocada sinalização no piso para que, em caso de filas, as pessoas fiquem distantes umas das outras
Supermercados e farmácias fazem adaptações para atender clientes
Para entrar na farmácia é preciso esperar outras pessoas saírem para não haver aglomeração. Crédito da foto: Vinícius Fonseca

Os supermercados e farmácias de Sorocaba estão tomando uma série de medidas preventivas por conta da pandemia do novo coronavírus.

Como os estabelecimentos devem continuar funcionando normalmente, por serem considerados essenciais, mudanças e adaptações foram necessárias para garantir a segurança de colaboradores e clientes.

Nos supermercados da Rede Bom Lugar, por exemplo, foi reduzida a circulação de pessoas dentro das lojas. O acesso é limitado com controle nas entradas dos estabelecimentos e o número vai variar por unidade, já que possuem perfis de tamanhos de lojas diferentes.

Além desse controle, também foi colocada sinalização no piso, nos caixas, para que, em caso de filas, as pessoas fiquem distantes umas das outras.

Oura medida foi a instalação de placas de poliestireno de alto impacto em todos os caixas para a proteção dos colaboradores e dos próprios clientes, evitando maior proximidade.

Os cuidados com a limpeza e higienização dos equipamentos também foram redobrados, além de cartazes com orientações dispostos nas lojas, os quais pedem que seja evitado tocar nos alimentos e em balcões sem necessidade, assim como os apertos de mão e a importância de cobrir a boca e o nariz ao tossir e espirrar.

Outras orientações também estão sendo dadas, como destinar apenas um membro da família para ir ao mercado, dando preferência a pagamentos com cartões, evitando assim o contato com as pessoas. “No momento, as lojas estão seguindo as orientações do Ministério da Saúde, as quais indicam que o uso de máscaras deve ser feito somente por pessoas que possuem sintomas de gripe”, afirma a gerente do Centro de Distribuição da Rede Bom Lugar, Fernanda Serrano Cechetti.

Leia mais  Guedes: vidas de brasileiros em risco, a economia também impactada

Fernanda destaca ainda que algumas lojas de Sorocaba e região deram início aos serviços de delivery. No site da Rede Bom Lugar é possível encontrar o telefone de todas as unidades que estão disponibilizando as entregas: http://redebomlugar.com.br/.

Já no Extra, no bairro Santa Rosália, também foram adotadas medidas para proteger clientes e funcionários. Na entrada da loja, cartazes orientam para a higienização dos carrinhos antes do início das compras, com álcool em gel.

Além disso, o supermercado orienta para que os clientes mantenham distância de um metro entre as demais pessoas. Outra recomendação é que os clientes e funcionários higienizem as mãos com frequência. Funcionários também foram vistos usando máscaras dentro do estabelecimento.

Farmácias e proteção

As farmácias de Sorocaba também adotaram medidas para proteger clientes e seus funcionários. Em uma farmácia da rede DrogaRaia, em Santa Rosália, a entrada na loja é limitada.

Já na entrada da farmácia, um cartaz informa aos clientes que para a prevenção da saúde, por conta da pandemia do novo coronavírus, o controle de acesso dos clientes começou no local nesta terça-feira (24). “Contamos com sua ajuda e compreensão. Vamos juntos garantir a saúde de quem mais precisa”, diz o comunicado.

Por conta disso, na entrada da farmácia, pessoas aguardam em fila, distantes umas das outras, e só entram após as saídas. E dentro da farmácia, os funcionários estão usando máscaras, conforme recomendação do Conselho Regional de Farmácia do Estado (CRF-SP).

Leia mais  Sorocabana é finalista no Miss Brasil Cadeirante 2020

O órgão elenca ainda uma série de recomendações ao farmacêutico que atua em locais com atendimento ao público, como uso de Equipamentos de Proteção Individual (EPIs), luvas, máscaras, entre outros, entre outras ações.

Padaria e restaurante buscam novas formas de atendimento

Para driblar a crise por conta da pandemia do novo coronavírus, estabelecimentos como restaurantes e padarias estão criando ideias para continuar atendendo seus clientes, já que eles só podem abrir para compras, e não é permitido consumir no local.

Uma das mais conhecidas padarias da cidade, a Real, que possui quatro unidades em Sorocaba, passou a atender seus clientes também pelo Whatsapp, fazendo a entrega do produto no estacionamento da loja.

Segundo a padaria, o cliente faz o pedido pelo aplicativo de mensagem e a entrega é feita no estacionamento da loja, em vagas demarcadas, sem necessidade do cliente sair do carro.
Por enquanto, os pedidos via Whatsapp estão disponíveis para três lojas: Boa Vista, Campolim e Centro. Os números dos contatos para os pedidos estão disponíveis nas redes sociais oficiais da padaria.

Leia mais  Estudo inédito em SP detecta anticorpos em 5%

Já o restaurante Panquecas d’Irene, depois de sofrer com a queda de mais de 90% de seu faturamento, causado pelo início da quarentena do novo coronavírus, lançou a venda de vouchers de suas famosas panquecas por meio de uma plataforma de arrecadação coletiva (https://abacashi.com/p/panquecasdirene). A compra é para uso a partir do dia 1º de julho.

Conforme o restaurante, a ação funciona assim: o cliente tem três opções de panqueca para adquirir no site: bronze, prata e ouro. Em cada categoria, o cliente pode escolher até um sabor daqueles pré-definidos pela promoção, entre eles: abobrinha, escarola, quatro queijos, seis queijos, calabresa, frango com catupiry etc. Ainda há a opção de comprar voucher para canelloni, lasanha, nhoque e rondelli.

Com o valor da venda dos vouchers, o restaurante fundado em 1987 espera conseguir respirar durante o tempo de tormenta e manter o salário em dia dos funcionários, muitos deles que estão no restaurante desde o seu início.

“Nosso restaurante nasceu das receitas da minha mãe, a dona Irene que é a matriarca da família Ravagnani. Sabor e amor são ingredientes presentes no nosso cardápio e manter o restaurante em pé, para além de garantir o sustento dos funcionários, é manter viva a tradição, os temperos e o próprio carinho da dona Irene”, afirma Elieser Ravagnani, um dos sócios do restaurante. (Ana Cláudia Martins)

Comentários