Buscar no Cruzeiro

Buscar

Sorocabanos são obrigados a usar máscaras

06 de Maio de 2020 às 00:01
Ana Claudia Martins [email protected]

Sorocabanos são obrigados a usar máscaras O uso também é obrigatório no interior de estabelecimentos que estejam autorizados a funcionar, seja nos setores público ou privado. Crédito da foto: Fábio Rogério (5/5/2020)

A partir de hoje os sorocabanos são obrigados a usar máscaras em vias e locais públicos, no transporte público coletivo, no transporte por aplicativos e táxis, em estabelecimentos comerciais e repartições públicas. A medida acompanha o decreto estadual que obriga o uso do acessório em todo o Estado a partir de quinta-feira (7). O decreto da Prefeitura de Sorocaba regulamentando a medida foi publicado no Jornal do Município de segunda-feira (5). A decisão é mais uma ação no combate à pandemia do novo coronavírus.

O jornal Cruzeiro do Sul questionou a Prefeitura de Sorocaba sobre como será feita a fiscalização na cidade e quais são as punições previstas para quem descumprir a medida. O órgão municipal informou que a fiscalização não se altera. “Os órgãos responsáveis pela fiscalização de posturas incluem, por exemplo a Guarda Civil Municipal (GCM)”, disse. Se forem verificados descumprimentos pelos órgãos responsáveis, em qualquer forma de abordagem, serão tomadas medidas, entre elas punições previstas na lei 4.412/93, que estabelece multa de R$ 276,10 a R$ 27.610,00.

Já o decreto do governador João Doria (PSDB), que foi publicado ontem, prevê multa mais salgada: de R$ 276 a R$ 276 mil, para quem descumprir a regra, além de detenção por até um ano.

Em Sorocaba, o decreto do Executivo determina o uso obrigatório da máscara fácil enquanto perdurar o período de restrições necessário ao enfrentamento da pandemia do Covid-19, por todos os munícipes, em vias, logradouros e demais bens e espaços públicos.

O uso também é obrigatório no interior de estabelecimentos que estejam autorizados a funcionar, nos setores público e privado, bem como na utilização de serviços de transporte público de passageiros, transporte individual por táxi e transporte individual por aplicativo.

O documento determina ainda que caberá ao responsável pelo estabelecimento ou pela prestação dos serviços, no âmbito de suas atribuições, adotar as medidas necessárias para impedir a entrada e a permanência de pessoas que não estiverem utilizando máscara de proteção facial.

Também caberá ao responsável adotar as medidas para sinalizar e informar aos munícipes sobre a impossibilidade de entrada e permanência nos locais sem o uso de máscaras.

Um decreto publicado no último dia 22 de abril, já recomendava o uso de máscaras em quaisquer estabelecimentos, espaços ou ambientes de acesso público, em especial no transporte coletivo de passageiros de Sorocaba.

Além disso, também orienta sobre a troca da máscara a cada 2 (duas) horas, no caso de máscaras descartáveis e, a cada 3 (três) horas, no caso de máscaras de tecido de uso não profissional, devendo estar perfeitamente ajustada ao rosto e cobrir totalmente o nariz e a boca. “Em caso de utilização de máscaras de tecido de uso não profissional, observar as orientações gerais da Anvisa e do Ministério da Saúde em relação a confecção, uso e higienização”, diz o documento.

Transporte coletivo

Para colocar em prática a determinação, a Urbes -- Trânsito e Transportes solicitou às empresas que operam o transporte coletivo urbano orientarem os passageiros. A intenção é pedir o uso da máscara para o embarque nos ônibus.

Já nas catracas de entrada dos terminais Santo Antonio e São Paulo, funcionários da Urbes orientarão os munícipes sobre a obrigatoriedade do uso do equipamento. A Urbes também indicou aos motoristas de táxis que orientem seus passageiros quanto à necessidade do uso das máscaras.

Vendas do equipamento de proteção devem ter crescimento

A falta de máscaras de proteção nas farmácias da cidade fez com que pessoas que trabalham com confecção começassem a produzir máscaras de pano, seguindo as orientações do Ministério da Saúde.

Agora com a obrigação do uso em todo o Estado, as confecções acreditam que a procura pelas máscaras de pano deve aumentar.

É o que espera a dona de uma confecção de Sorocaba, Rosimeire Paes Clemente, que produzia jeans infantil. Com o fechamento do comércio de confecção em geral, ela optou por aproveitar o maquinário e passou a produzir máscaras de pano para vender.

Desde que iniciou a produção, Rosimeire afirma que já confeccionou e vendeu mais de 8 mil máscaras. Ela acredita que as vendas devem aumentar por conta da obrigatoriedade do uso. Os pedidos são feitos pelo WhatsApp tanto de consumidores como por empresas.

A comerciante Fernanda Bruder, que produz uniformes, também passou a confeccionar máscaras de pano após pedidos de amigos. Ela conta que as vendas dos uniformes caíram com a pandemia do novo coronavírus e optou por produzir as máscaras.

Desde que começou, ela conta que já vendeu cerca de 2,2 mil no varejo e no atacado. Fernanda acredita que os pedidos de empresas deverão aumentar por conta da obrigatoriedade em vigor.

Ministério da Saúde recomenda levar uma reserva ao sair de casa

O Ministério da Saúde recomenda a máscara de pano e afirma que ela é mais um reforço contra o novo coronavírus, junto com outros cuidados, como lavar as mãos. Segundo o órgão, o uso da máscara de pano é recomendado sempre que a pessoa for sair de casa. É ideal também levar ao menos uma máscara reserva.

“Se antes desse tempo a máscara ficar suja ou úmida, deve-se trocá-la. A máscara serve de barreira física contra o vírus. Por isso, é preciso que ela tenha pelo menos duas camadas de pano”, destaca.

Outras dicas do Ministério para o uso das máscaras de pano são: manter a máscara higienizada corretamente; trocar a máscara a cada 2 horas; ao chegar em casa não deixe a máscara em qualquer lugar, coloque-a para lavar; a máscara deve ser lavada separadamente de outras roupas; não compartilhar a sua máscara, ainda que ela esteja lavada, e jogar fora a máscara se ela tiver danos.

E se você quiser produzir a sua própria máscara de pano em casa, acesse o vídeo produzido pelo Ministério da Saúde: https://youtu.be/FJxNsQ1-ZGM.

Votorantim prepara decreto

A Prefeitura de Votorantim informa que acompanha a determinação do governo do Estado, e que um decreto nesse sentido está sendo elaborado para vigorar juntamente com as regras estaduais. Porém, não foi informado quando o decreto será publicado. “Embora a obrigatoriedade seja exigida a partir de amanhã (7), a Prefeitura recomenda desde já o uso das máscaras e acata a legislação estadual no que se refere ao comércio e transporte público, válidas em todo o Estado desde a última segunda-feira (4)”, diz.

O órgão municipal reforça, ainda, que as máscaras são uma barreira contra a propagação do novo coronavírus e seu uso constitui uma medida adicional de proteção no combate à pandemia de coronavírus, aliada às orientações de isolamento social, distanciamento físico, etiqueta respiratória e higienização das mãos, entre outras recomendadas pelas autoridades em saúde pública.

O município disponibiliza canais para recebimento de denúncias e fiscalização, pelo WhatsApp, os números (15) 3353-8731 e 3353-8732, operando de segunda a sexta-feira, das 8h às 12h. Há ainda uma central de atendimento para as denúncias de aglomerações e acionamento da GCM, pelos telefones (15) 3247-2654 e (15) 3343-4519. Por e-mail, nos seguintes endereços: [email protected] e [email protected] (Ana Cláudia Martins)