Sorocaba e Região

Sorocabanos lotam centro da cidade no primeiro sábado de reabertura do comércio

Decreto municipal permite a reabertura dos estabelecimentos das 9h às 13h
Comércio no centro de Sorocaba
Idosos, gestantes, crianças e adultos passeavam pela região comercial. Crédito da foto: Vinicius Fonseca (06/06/2020)

No primeiro final de semana da reabertura parcial do comércio de Sorocaba, o Centro da cidade recebeu milhares de pessoas que saíram de casa e foram às compras. Na manhã deste sábado (06), a região central viveu um dia quase “normal” com trânsito, congestionamento, pessoas caminhando e esperando para serem atendidas nos estabelecimentos.

Idosos, gestantes, crianças e adultos passeavam pela região comercial. Ainda que liberadas as atividades comerciais, a Prefeitura de Sorocaba recomendou que as pessoas fiquem em casa para evitar a contaminação pelo coronavírus.

Conforme o decreto municipal que viabilizou a abertura dos estabelecimentos, o atendimento nos locais fica restrito a 20% da capacidade, e por somente quatro horas, das 9h às 13h. Por volta das 11h, o movimento de consumidores era intenso, diversas pessoas aguardavam em filas para acessar o interior das lojas. Em alguns pontos do cruzamento da Barão do Rio Branco com o Boulevard Dr. Braguinha pedestres se esbarravam para conseguir seguir o caminho. Concessionárias, imobiliárias, escritórios e shopping centers têm horário de atendimento entre 15h e 19h.

De acordo com Prefeitura Municipal, duas equipes de fiscalização de postura visitariam a região central a partir das 12h para averiguar se os comerciantes estariam respeitando as determinações do Poder Público. O número de integrantes de cada equipe não foi divulgado sob a alegação de ser uma “questão estratégica”.

Mesmo com o aumento no número de visitantes do centro da cidade, muitas pessoas que caminhavam pelas ruas respeitavam a determinação do uso de máscaras de proteção. A maior parte das lojas disponibilizou  um funcionário para monitorar a quantidade de clientes no interior do prédio. Contudo, nem todos estabelecimentos tinham a disposição de quem entrava no local álcool gel 70%. Pelo decreto municipal, a abertura parcial fica condicionada a adoção de procedimentos de segurança como higienização dos ambientes e disponibilização do antisséptico.

Tudo normal

A vendedora Livína de Macedo, 55, classificou o movimento do sábado como “um dia normal” para a região e destacou o aumento no fluxo de visitantes. “Eu não sei se aumentaram as vendas, mas o número de gente aumentou muito. Vem até gente de fora da cidade, pessoas andando, comprando, e está muito cheio”, avaliou a trabalhadora.

As amigas Shirley Fernandes, 33, Bianca Cardoso, 28, aproveitaram o início do final de semana e a reabertura comercial para ir ao banco e por as contas em dia. “Eu vim receber e pagar as dívidas, eu só consigo fazer o saque direito no caixa eletrônico da agência. Não pretendo vir mais, a gente sabe que não pode ficar vindo, porque é perigoso”, afirmou Bianca.

Em várias ruas da região comercial, cantores e instrumentistas se apresentavam para a multidão. Crédito da foto: Vinicius Fonseca (06/06/2020)

Artistas

Assim como os consumidores, quem também retornou ao centro da cidade foram os artistas de rua. Em várias vias da região comercial, cantores e instrumentistas se apresentavam para a multidão. Herbet Lima Senne, 24, fez do cruzamento do Boulevard Dr, Braguinha com a Barão do Rio Branco seu palco. Com o violão no colo e o chapéu no chão, o jovem tem nas apresentações de rua sua fonte de renda . “Tem uns 15 anos que eu canto aqui, mas eu tinha parado por conta da Covid-19, o que me afetou bastante. Agora eu decidi voltar, me protegendo, tomando todas as medidas possíveis”, disse.

O advogado Silvio de Góes, 58, era uma das pessoas que acompanhava a cantoria. Ele conta que decidiu passear pelo local para acompanhar a movimentação. O visitante comparou o fluxo de pessoas do primeiro sábado com momentos que antecederam as restrições por conta da disseminação da Covid-19. “Eu moro aqui no centro, então todo dia eu estou por aqui. Mas minha análise é de que hoje está quase normal, como era antes da pandemia”, analisou o advogado.

Os veículos da empresa TransLeo seguiram pela região central. Crédito da foto: Vinicius Fonseca (06/06/2020)

Trânsito

No início da manhã, quem trafegava pela rua Dr. Álvaro Soares enfrentava o fluxo intenso de veículos que acabou congestionando alguns dos cruzamentos da via. Para auxiliar na fluidez do local, agentes de trânsito da Urbes estavam presentes no local. Ainda segundo a empresa pública, a frota de ônibus do transporte coletivo atuou com 50% da sua capacidade.

O primeiro sábado da reabertura do comércio também teve uma manifestação pró turismo. Aproximadamente 15 ônibus participaram de uma carreta no Centro da cidade com placas escritas “SOS Turismo” e “Força Turismo”. Os veículos da empresa TransLeo seguiram pela região acompanhados dos agentes de trânsito.

Segundo divulgado, a empresa pública não tinha conhecimento prévio da ação e o protesto não tinha autorização do órgão. “A Urbes acompanha o protesto visando reduzir os impactos no trânsito”, explicou. A reportagem tentou contato com a empresa responsável pela manifestação, mas não teve resposta até o momento desta publicação. (Wesley Gonsalves)

Comentários