Sorocaba e Região

Sorocabana nos EUA fala sobre aproximação do furacão Dorian

Dois anos depois do Furacão Irma, a jornalista Tatiane Patron, que vive em Orlando, aguarda outro ciclone tropical
Sorocabana fala sobre aproximação do Dorian
Chuva e ventos fortes anunciam a chegada de Dorian a Orlando. Crédito da foto: Marc Wilson / Getty Images / AFP

Dois anos depois da passagem do Furacão Irma, em agosto de 2017, a jornalista sorocabana Tatiane Patron, de 32 anos, que vive em Orlando, nos Estados Unidos, aguarda a aproximação de outro ciclone tropical: o Dorian. Ele ganhou força no final da semana e na segunda-feira (2) arrasou algumas ilhas das Bahamas.

Leia mais  Com ventos devastadores, furacão Dorian está a caminho da Flórida

 

Conforme Tatiane, o aviso já está no céu de Orlando. “Estamos no verão, onde normalmente é muito quente, em torno dos 30 graus. Mas está chovendo e ventando”, conta.

A jornalista sorocabana Tatiane Patron vive em Orlando, nos EUA. Crédito da foto: Reprodução/Facebook

A cidade entra em toque de recolher a partir da noite desta terça (3). “Já estamos em estado de alerta. Escolas e bancos já não estão funcionando, voltam apenas na quinta-feira.” Por conta disso, sua despensa foi reabastecida com água e comida não-perecível, frutas, pão e salgadinho. Outra preocupação é a falta de energia elétrica.

Aprendizado

À época do Irma, Tatiane ficou muito preocupada. Desta vez está mais calma. “Fiquei muito tensa porque não sabia o que era. Desta vez, como Orlando fica no meio do Estado, o furacão passa numa categoria menor ou como tempestade tropical, que é o esperado por nós.”

Ainda assim, há cuidados para evitar prejuízos na casa. “Costumamos colocar tapume nas janelas para nos protegermos do vento, caso quebre algum vidro. No Estado, todas as casas são construídas à prova de furacões até categoria 3.” (Eric Mantuan)

Comentários